Jovens evangélicos usam soul e jazz para levar adoração na periferia de SP

Um vídeo do grupo que circulou na internet foi compartilhado pelo cantor Ed Motta que teceu elogios ao som dos rapazes.

fonte: Guiame, com informações do Estadão

Atualizado: Sexta-feira, 17 Junho de 2016 as 12:12

Vinicius Coelho - ou “Vini King”, como também é chamado fazendo referência a BB King, é um jovem tímido, mas muito habilidoso com a guitarra. (Foto: Estadão).
Vinicius Coelho - ou “Vini King”, como também é chamado fazendo referência a BB King, é um jovem tímido, mas muito habilidoso com a guitarra. (Foto: Estadão).

Um grupo de cinco rapazes cristãos se uniram com a vontade de louvar a Deus por meio do jazz e blues. O “Louva na Laje” é o projeto musical que foi elogiado pelo músico Ed Motta. “Quem são esses caras?”, perguntou o cantor em um post, compartilhando um vídeo em que Vinícius sola um tema de jazz fusion.

Vinicius Coelho - ou “Vini King”, como também é chamado fazendo referência a BB King, é um jovem tímido, mas muito habilidoso com a guitarra. De acordo com uma matéria do Estadão, ele ainda não viu nada muito além do horizonte de tijolos desalinhados dos muros e conjuntos habitacionais de Cidade Tiradentes. Mas, quando chega à laje da Rua Doze Apóstolos, senta ao lado do baterista, recebe uma guitarra emprestada e a música começa.

É exatamente ali que finda sua fragilidade, ao lado dos quatro amigos que tiveram seus caminhos cruzados pela música das igrejas evangélicas da região. Apesar de não terem lançado algum disco ou se apresentado fora da laje, o som que fazem acabou chamando a atenção de Ed Motta. “Eu fiquei impressionado com o baterista e com a fraseologia do guitarrista. Ele é incrível”, disse o cantor ao Estadão.

Questionado pelo jornal sobre quem seria sua maior inspiração, sem saber que a reportagem havia falado com Ed, Vinicius respondeu: “Ed Motta”.

Quem teve a ideia de se reunir no último andar de um sobrado no chamado Setor G de Cidade Tiradentes foi de Thiago Vieira, 29, o vocalista, que também nomeou o grupo. O ‘louva’ do nome indica a intenção evangelizadora nas letras, mas a liberdade musical é irrestrita, com uma inclinação maior para soul, funk e temas instrumentais de jazz e fusion, onde aparece mais o potencial de integrantes como Vinicius e do baterista Henrique Matias, também de 18 anos.

“Ele traz a influência dos bateristas de gospel modernos, sabe tudo”, ressaltou Ed Motta.

São as igrejas, sobretudo em bairros da periferia de São Paulo, que proporcionam o primeiro contato de jovens e adolescentes com instrumentos musicais. As principais orquestras do País têm em suas fileiras inúmeros seguidores da palavra de Deus, sobretudo em naipes de sopro e metais. O próprio Ed Motta toca ou já tocou com músicos evangélicos, como o trompetista referência Jessé Sadoc, o baterista Marcos Kinder e o contrabaixista Sidiel Vieira.

Ainda de acordo com o site, Vinicius relatou que “sentiu o primeiro arrepio” aos nove anos, ao ver um baterista tocando em uma Assembleia de Deus. “Comecei a estudar por conta própria”. Já Henrique Matias tinha quatro quando passou pela mesma experiência em um culto na denominação Ministério Quadrangular. Filho de dona de casa e pai motorista de ônibus, ele ainda não comprou sua própria bateria, mas nunca precisou de uma para expressar o que sentia. Foi com ele que mostrou o fraseado vigoroso que impressionou Ed Motta.

veja também