“Se relacionar com Deus é mais importante que fazer coisas em nome Dele”, diz Baruk

Em entrevista ao Guiame, o cantor fala sobre os princípios de uma vida de adoração. Assista!

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Quinta-feira, 5 Maio de 2016 as 4:58

Em entrevista ao Guiame, o cantor fala sobre os princípios de uma vida de adoração. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)
Em entrevista ao Guiame, o cantor fala sobre os princípios de uma vida de adoração. (Foto: Guiame/ Marcos Paulo Corrêa)

Paulo César Baruk, assim como muitos outros ministros de louvor, rodam pelos quatro cantos do País a fim de levar a mensagem do Evangelho através da música. No entanto, essa estrada apresenta muitos desafios — e o maior deles é priorizar os pontos mais importantes da caminhada.

“Você tem que priorizar primeiro o relacionamento com o Senhor, na sua casa — começando aí, porque quem viaja não pode se esquecer do quarto lá de casa onde a gente se encontra a sós com Deus”, disse o cantor em entrevista ao Guiame durante o Encontro de Mídias e Lojistas da Sony Music.

“Depois, a igreja local é fundamental e importante, porque ali a gente é alimentado assim como todos os outros membros, a gente consegue se lembrar daquilo que a gente é, de fato”, acrescentou Baruk. “Um desafio é a gente não se esquecer desses princípios, de como é importante se relacionar com Deus, mais do que realizar coisas em nome Dele.”

Segundo o cantor, adoração é o resultado de alguém que percebe quem é Deus e a música, uma poderosa ferramenta de alcance. “As pessoas gostam de música, e se a gente não entender quão poderosa é essa ferramenta para a comunicação do Evangelho de Jesus Cristo, outras pessoas farão uso dela para comunicar outras mensagens”, ressalta Baruk.

Mudança

Embora o atual cenário no Brasil clame por uma reforma, a primeira mudança deve acontecer dentro de cada pessoa, na visão de Baruk.

“Essa coisa de transformar o mundo precisa começar no nosso mundo: em nós, depois na comunidade em volta, na igreja, no bairro, e assim acho que vai na direção certa. Não adianta reclamar achando que isso vai partir lá de cima ou do externo. É primeiro de dentro”, afirmou.

Assista a entrevista completa:

veja também