Thalles Roberto no programa Encontro: "Temos que ser reconhecidos pelo exemplo que damos"

Temas como preconceito e abuso de autoridade foram debatidos nesta edição e o cantor comentou sobre os assuntos.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 13 Novembro de 2014 as 12:14

Thalles Roberto: "Temos que ser reconhecidos pelo exemplo que damos"Na manhã desta quinta-feira, 13/11, Thalles Roberto foi um dos convidados para participar do programa Encontro, apresentado por Fátima Bernardes. O cantor teve a oportunidade de se apresentar com algumas de suas canções e também participou de um bate-papo com os outros convidados.

Temas como preconceito e abuso de autoridade foram debatidos nesta edição.

Quando questionado sobre a responsabilidade de ser uma pessoa influente, com milhões de seguidores nas mídias sociais, Thalles confessou que dar um exemplo não é sempre fácil, mas é preciso.

"É muito difícil ser referência para as pessoas. Eu não sou perfeito. Mas as pessoas te acompanham, ouvem o que você fala e é muito difícil dar exemplo. Eu, por exemplo, não tenho carteira de moto, mas comprei esses dias uma moto para mim. Quando fui sair de casa, a minha esposa me falou: 'Thalles você não pode andar de moto sem habilitação para isso. Precisar dar exemplo'. Então eu estou há algum tempo com ela na garagem, esperando para tirar essa habilitação", assumiu.

Aproveitando a deixa do assunto colocado em pauta, sobre a agente Luciana Silva Tamburini, que multou um juiz em razão da lei seca e foi penalizada por isto, Thalles lembrou que

"Nós temos que ser reconhecidos pelo exemplo que nós damos e não pela carteira que usamos", destacou.

Identidade
Falando sobre os benefícios e malefícios que as mídias sociais podem trazer, Thalles afirmou que é preciso manter uma postura de maturidade com relação aos comentários de internautas.

"Eu não sou o que as pessoas dizem que eu sou. A minha esposa me perguntava: 'Você viu o que estão falando de você nas redes sociais?'. Eu sempre respondi para ela que eu não posso me alimentar disso", disse.

Por João Neto - www.guiame.com.br 

 

veja também