Leonardo Gonçalves diz que falta preparo para falar sobre abusos: "A dor fere a nossa hipocrisia"

Em entrevista exclusiva ao Guiame, o cantor e compositor Leonardo Gonçalves alertou sobre a dificuldade que a Igreja e a sociedade em geral têm de falar sobre assuntos graves como o abuso sexual e a violência doméstica.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 11 Julho de 2016 as 11:05

Na última semana, Fortaleza recebeu na Expoevangélica 2016, grandes nomes do meio cristão e uma das grandes vozes do música cristã que marcaram presença no evento foi Leonardo Gonçalves. O cantor fez uma visita ao stand do Portal Guiame e bateu um papo com a nossa equipe, falando não apenas sobre a nova fase que tem vivido em sua carreira, mas também aproveitou para reforçar um alerta que já tinha feito em sua página das mídias sociais: a dificuldade que a igreja e a sociedade em geral têm de falar sobre assuntos graves como o abuso sexual e a violência doméstica.

Inicialmente, Leonardo afirmou que, apesar do assunto ainda ser pouco abordado nas igrejas, o cristianismo não está de todo alheio ao tema e deixou claro que o silêncio é o pior obstáculo em casos de abuso.

"Na verdade, a igreja deveria liderar o movimento para falar sobre isso e existem alguns. A própria Igreja Adventista tem o 'Quebrando o Silêncio', que trata de violência doméstica, em geral - seja contra crianças, mulheres - trata desse assunto e faz essa campanha de você quebrar o silêncio, porque o silêncio é o maior inimigo da solução desses problemas", destacou.

Porém o cantor reconheceu que ainda falta preparo para lidar com o contexto delicado que o quadro de abuso sexual - infantil e adutlo - e outros casos de violência doméstica representam atualmente.

"Eu acho que o mais difícil de tocar nesses assuntos vem em duas partes: a primeira é que um percentual alto de pessoas, por mais absurso que isso pareça, sofre com abusos, girando em torno de 10, 12%. Quando vamos tocar nesse assunto, muitas vezes a pessoa reprimiu a lembrança disso. Então quando você toca no assunto, você abre a ferida e as reações que vêm não podem ser controladas, porque são feridas muito profundas. Por um lado é isso, a gente não sabe lidar. A gente toca no assunto, as feridas são abertas, vem uma enxurrada de dor e a gente não sabe lidar com a dor", explicou.

Leonardo Gonçalves foi uma das participações de destaque na Expoevangélica 2016, em Fortaleza. (Foto: Levi Facó / Guiame)

"A dor fere a nossa arrogância, a dor fere o nosso triunfalismo. A gente tem intolerância à dor, porque 'o cristão tem que ser feliz, tem que ser alegre'; 'Jesus já te salvou, depressão não pode!'. A dor fere a hipocrisia do nosso triunfalismo", acrescentou.

veja também