MENU

Aécio Neves vê piada em explicações de Dilma na TV

Candidato do PSDB ironizou o fato de a adversária negar responsabilidade. Petista disse que Paulo Roberto Costa foi promovido por ter feito carreira.

fonte: Globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 22 Setembro de 2014 as 3:30

Candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, o senador Aécio Neves afirmou nesta segunda-feira, em Minas Gerais, que a adversária do PT faz "piada" ao não assumir a responsabilidade pela indicação de Paulo Roberto Costa, preso por suspeita de envolvimento em um esquema de corrupção, para a diretoria de Refino e Abastecimento da Petrobras. Em entrevista ao Bom Dia Brasil veiculada nesta segunda, a chefe do Executivo afirmou que Costa foi indicado para a diretoria porque reunia os requisitos para o cargo.

"É uma piada de uma presidente da República que não assume as suas responsabilidades. [...] Se a presidente não conseguiu administrar a empresa durante 12 anos como presidente do conselho [de administração da Petrobras], não tem autoridade agora para pedir um mandato para administrar de novo o Brasil", ironizou Aécio, durante entrevista coletiva em Betim, município da região metrolitana de Belo Horizonte.

Indagada na entrevista do Bom Dia Brasil sobre se havia participado da indicação de Paulo Roberto Costa para o cargo de alto escalão da petroleira, Dilma justificou que o ex-diretor, que foi preso em março pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), era um funcionário de carreira da empresa. Ela destacou que Costa trabalhou ao longo de três décadas na Petrobras e chegou a ocupar um assento na diretoria da Gaspetro, uma das subsidiárias da estatal, durante o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).
"O senhor Paulo Roberto tinha credenciais para ser escolhido diretor. A descoberta que ele fez isso [atos de corrupção] é uma surpresa. Se eu soubesse que ele era corrupto, ele estava imediatamente demitido", disse a presidente ao telejornal.

'Mente e desmente'
Aécio Neves desembarcou de helicóptero no campo do estádio Capelão, em Betim. No local, concedeu rápida entrevista a jornalistas e, de lá, seguiu para o centro da cidade, onde Aécio Neves discursou para apoiadores em cima de um carro de som.

Em meio à entrevista, Aécio Neves ironizou a troca de farpas públicas entre Dilma e Marina Silva, candidata do PSB ao Planalto. Segundo ele, de um lado há uma candidata que "mente" e, do outro, uma que se "desmente".

Aécio acusou a candidata do PT de ter mentido ao afirmar que os adversários dela acabariam com o Bolsa Família. Em compromisso eleitoral no último sábado, Dilma disse explicitamente que os rivais vão acabar com o programa de transferência de renda, se forem eleitos.

O tucano também voltou a desferir críticas contra o programa de governo da adversária do PSB. Para ele, o conjunto de propostas de Marina "parece ter sido feito a lápis".
"É um programa feito por quem não acredita que vai vencer a eleição, haja visto que parece ter sido feito a lápis, para que se possa passar uma borracha quando algum compromisso contraria determinado segmento que ela acha estratégico para sua campanha", ressaltou o presidenciável do PSDB.

Clínicas especializadas
Na agenda eleitoral na Grande Belo Horizonte, Aécio também prometeu que, se eleito, irá criar 500 clínicas de especialidades médicas com financiamento do BNDES. Ele explicou que o pagamento dos médicos será feito por meio dos recursos oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS).

"O cidadão chegará já com a consulta marcada, o médico fará os exames que possam ser feitos ali mesmo, e já sairá com os medicamentos. O BNDES vai financiar os consultórios nas regiões em que o Ministério da Saúde detectar carência daquele tipo de atendimento", explicou.

Carreata
A agenda de Aécio Neves pela região metropolitana de Belo Horizonte, nesta segunda, se encerrou com uma pequena carreata, no início da tarde, em Contagem, outro município da região metropolitana de Belo Horizonte. Na cidade, o tucano foi recebido por dezenas de correligionários, cumprimentou eleitores e tomou um café na Praça Dr. Paulo Pinheiro Chagas, na Avenida João César de Oliveira.

Ele estava acompanhado dos candidatos do PSDB ao governo de Minas, Pimenta da Veiga, e ao Senado, Antonio Anastasia. Aécio pretendia fazer uma carreata pela avenida, mas um acidente na manhã desta segunda-feira no trajeto que seria percorrido mudou os planos da campanha. Com isso, a carreata fez um percurso menor.



veja também