MENU

Alexandre Padilha ataca e diz: "PSDB esconde corrupção debaixo do tapete"

fonte: IG

Atualizado: Terça-feira, 26 Agosto de 2014 as 9:53

Alexandre Padilha (PT) atacou Geraldo Alckmin em debate no SBTO candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, criticou a postura do atual governador e adversário, Geraldo Alckmin (PSDB), por não criar uma CPI para investigar o suposto cartel dos trens e metrô de São Paulo.

"O governo não permite apuração. Essa é a prática do PSDB. Eles escondem a corrupção para debaixo do tapete e quando alguém é indiciado, como foi o ex-conselheiro Robson Marinho, o PSDB premia, como a pessoa indicada. Eles colocaram a raposa vitalícia para cuidar do galinheiro", disse Padilha, na saída de um debate com os adversários, na capital paulista, na última segunda-feira (25).

Marinho, que é suspeito de receber propina da empresa Alstom, está afastado do cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado desde o último dia 12 por decisão judicial. E foi chefe da secretaria da Casa Civil no governo Mário Covas (PSDB).

O petista aproveitou ainda para citar o resultado da CPI dos Pedágios, que teve o relatório divulgado na própria segunda.

"[O relatório da CPI dos pedágios] está mostrando que a elevação dos preços dos pedágios foi acima daquilo que está estabelecido nos próprios contratos que o próprio PSDB fez", apontou Padilha.

Questionado sobre a investigação do cartel dos trens na Assembleia Legislativa, Alckmin desconversou. "Assembleia legislativa é totalmente autônoma. É outro poder".

A CPI no começo deste mês não foi instalada por falta de deputados suficientes. Uma investigação mista foi instaurada no Congresso Nacional no último dia 6. A próxima reunião está agendada para o próximo dia 2. Na ocasião, devem ser escolhidos os congressistas que vão assumir a presidência e a relatoria da comissão.

O debate em que Padilha, Alckmin e outros cinco candidatos participaram foi promovido pelo SBT, pela Folha de S. Paulo, pelo UOL e pela Jovem Pan na última segunda.

veja também