MENU

Partido 'Rede' sugere voto em Aécio, branco ou nulo

Diretório nacional do partido reuniu-se na noite desta quarta-feira (8). Recomendação de voto em Aécio não significa aderir ao programa do PSDB.

fonte: Globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 9 Outubro de 2014 as 8:21

A Rede Sustentabilidade vai recomendar ao seu grupo político e filiados o voto em Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência da República, o voto branco ou nulo, de acordo com Walter Feldman, porta-voz do partido. O diretório nacional da Rede se reuniu no início da noite desta quarta-feira (8) em São Paulo para tomar uma posição em relação ao segundo turno das eleições presidenciais.

Ao menos 120 integrantes do diretório, distribuídas em 80 localidades distintas do país, debateram o assunto por meio de teleconferência. A reunião que decidiu o rumo do partido nas eleições terminou no início da madrugada desta quinta (9), à 0h10.

De acordo com o porta-voz, é consenso não apoiar Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, no segundo turno. “A síntese é que a mudança simboliza hoje o voto em Aécio, em branco ou voto nulo. Seriam as três posições que a Rede considera adequada ao processo de mudança que o Brasil precisa realizar”, afirmou.

A recomendação do voto no tucano não significa, no entanto, que a Rede Sustentabilidade irá aderir ao programa de governo do PSDB. “Não a Dilma, mas sim ao Aécio, mas com os pontos que destacamos. Neste documento que a Rede vai apresentar vai estar muito claro as questões programáticas que o partido acredita que devem ser debatidas pelos candidatos no segundo turno”, afirmou Feldman.

Independentemente da posição da Rede, a candidata Marina Silva só deverá anunciar a sua posição oficial, em relação ao segundo turno das eleições, nesta quinta, segundo Feldman. “A Marina espera oficialmente que os partidos coligados apresentem as suas posições para só então se pronunciar”, explicou.

Feldman disse que a visita de Marina a Fernando Henrique Cardoso, um dos principais líderes do PSDB, nesta quarta foi uma “cortesia”. “Não estava presente, então, não sei qual foi a conversa deles”, desconversou Feldman, sobre o encontro dos dois políticos. No dia da votação, no último domingo 95), Fernando Henrique Cardoso chegou a afirmar a jornalistas que gostaria de contar com o apoio de Marina caso o presidenciável tucano fosse para o segundo turno com Dilma Rousseff.

Rouquidão
A candidata derrotada no 1º turno deve permanecer em São Paulo nesta quinta em vez de seguir para Brasília, como estava previsto. Marina passou o dia em seu apartamento, na Zona Sul de São Paulo, de onde só saiu para uma consulta médica. Segundo Feldman, que também é médico, o motivo da consulta foi a rouquidão na voz da candidata. Embora não seja grave, o problema deve afastar Marina temporariamente dos palanques.

"Nós queremos que pelo menos por alguns dias ela pare de falar. Ela terá de falar muito amanhã (quinta) por conta da reunião da coligação. Todos estamos esperando essa decisão final sobre o processo no segundo turno. Queremos que depois ela fique três, quatro dias falando muito pouco, repousando, para que possa até acompanhar com mais detalhes o complexo processo do segundo turno", disse Feldman.

Feldman disse que Marina tem boa resistência, mas ficou com um longo período de rouquidão e isso levou a indicarem a ela exames e dimunuição do ritmo. "Nós estávamos preocupados e levamos ao médico, que disse que é só ela parar de falar um pouqueinho. Vamos fazer uma revisão no sistema imunológico, exames de sangue para ver a situação pós-campanha. Ela vai acompanhar ativamente, mas não terá o dinamismo e a profundidade que terá uma candidata."

Integrante da executiva nacional da Rede Sustentabilidade, Basileu Margarido disse à tarde que o partido indica vontade de renovação. "A expressão da Rede coincide com a expressão das urnas, que indicaram claramente uma vontade de renovação, uma mudança da sociedade brasileira. A mudança que nós estamos falando está colocada no documento que vai ser divulgado após esssa reunião do elo (como é chamado o diretório do partido), em que a gente qualifica essa mudança. Entendemos que é um programa que tem como base a alternância de poder", afirmou.

veja também