MENU

Youssef diz que Dilma e Lula sabiam de caso da Petrobras

O doleiro é apontado pela Polícia Federal como o operador de esquemas de lavagem de dinheiro em outros casos de corrupção, além do ocorrido na Petrobras

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Sexta-feira, 24 Outubro de 2014 as 9:24

Na noite da última quinta-feira, 23/10, a revista Veja adiantou em seu site oficial, qual será a capa de sua próxima edição.

A edição trará uma reportagem com o depoimento do doleiro Alberto Youssef - caixa do esquema de corrupção na Petrobras - à Polícia Federal e ao Ministério Público. Ele afirma que a presidente Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva sabiam dos desvios de dinheiro realizados.

Youssef é apontado pela Polícia Federal como o operador de esquemas de lavagem de dinheiro em outros casos de corrupção, além do ocorrido na Petrobras. O doleiro está preso no Paraná desde que foi deflagrada a "Operação Lava Jato", quando fez acordo de delação premiada com a Justiça.

Colunista da Veja, Felipe Moura Brasil publicou em seu blog oficial, um trecho da reportagem que será publicada na íntegra, em 29/10.

“…Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:

— O Planalto sabia de tudo!

— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.

— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.”

Estratégia?
Procurado pelo site Terra na mesma noite, o presidente do PT de São Paulo, Emidio de Souza, acusou a revista Veja de usar a matéria como estratégia para contribuir com uma "campanha pró-Aécio (PSDB)".

“É um desserviço ao bom jornalismo e à democracia, uma revista querer, a 48h de uma eleição, trazer uma matéria deste naipe. É um desserviço, uma falta de imparcialidade, ou melhor, é uma parcialidade total na disputa eleitoral. Eu acho que a Veja perde um pouco mais do pouco que lhe resta de credibilidade”, disse.

Emídio também questionou a credibilidade de Yousseff.

“Você vai acreditar em um cara que fala que o Lula e a Dilma sabiam? Que credibilidade tem esse elemento? Quando ele tratou disso com o Lula e a Dilma? Nunca. Nunca tratou de nada disso”.

“Isso é matéria tipicamente destinada a produzir efeitos eleitorais, mais nada. A campanha do PSDB tem tido muito ódio, e nós não vamos responder com isso. Não vamos responder com esse ódio, não vamos entrar neste jogo. Eles estão perdendo a guerra. Campanha de ódio, quem espalha, perde”, finalizou.

Com informações da Veja / Terra

 

veja também