Marcelo Oliveira celebra classificação, e prevê duelo aberto contra o Galo

Treinador celeste chega a sua terceira final de Copa do Brasil e busca título inédito

Fonte: Globo.comAtualizado: quinta-feira, 6 de novembro de 2014 10:15
Cruzerio
Cruzerio

‘Coisa de Deus’. Foi assim que o técnico Marcelo Oliveira, depois de esgotar as explicações para o empate heroico do Cruzeiro por 3 a 3 com o Santos, na Vila Belmiro, nessa quarta-feira, resumiu o jogo que levou o Cruzeiro à final da Copa do Brasil. O treinador celeste destacou as dificuldades enfrentadas na partida pelo time mineiro, que esteve eliminado até os 35 minutos do segundo tempo. Mas valorizou mais o poder de superação da Raposa ao buscar o empate.

 

 

- Nós tivemos, no meu modo de ver, duas desatenções. Uma no início de jogo, até comentamos muito isso na preleção, que ia vir muita pressão, como o Cruzeiro faz no Mineirão. Com um minuto e meio fizeram o gol. O outro gol, aos 44, era o momento de prender a bola, segurar, fazer uma faltinha técnica. Quando se trabalha muito, da forma que trabalhamos, num ambiente tão saudável, sempre se acredita. Foi uma coisa de Deus também. E as coisas de Deu acontecem para quem trabalha. Os jogadores mereceram porque lutaram até o final.

Veja em detalhes a entrevista do técnico Marcelo Oliveira:

TERCEIRA FINAL EM QUATRO ANOS


- A experiência vivenciada sempre nos dá uma condição melhor. No caso do Coritiba, eu acho que como o Coritiba nunca tinha chegada a final, duas finais consecutivas foram muito valorizadas. Agora temos novamente uma oportunidade, estamos muito firmes e vamos nos preparar bem. Por mais que sejam jogos consecutivos haja muito desgaste, temos que mudar para o Brasileiro. Mas tem que ter superação e esse trabalho de equipe para buscar tanto no brasileiro quanto na Copa do Brasil.

CLÁSSICO NA DECISÃO


- As duas equipes estão muito bem. O Cruzeiro liderando o Brasileiro, o Atlético-MG ali próximo. Vai ser um jogo muito interessante, de muito combate, mas também de muitos gols, como foi hoje.

WILLIAN


- Acho que hoje todos tem que ser exaltados, a equipe como um todo. Precisei de dois jogadores que estavam há um tempo fora. Tanto o Bruno quanto o Samudio entraram muito bem. Mas inegavelmente foi uma atuação excepcional do Willian. Ano passado nos ajudou muito, este ano vinha entrando, sempre taticamente muito eficiente. Hoje ele extrapolou. Foi eficiente do início ao fim. Deu a condição de buscar a classificação. 

CEARÁ NO LUGAR DE MAYKE


- Não foi uma mudança totalmente tática ou estratégica. O problema é que o Mayke jogou dois jogos intensos. No último jogo ele terminou esgotado, porque passa o tempo todo. Tínhamos o Ceará que marca bem. Achei que o Ceará foi perfeito, sustentou muito bem. É bom saber que tem um elenco assim que pode trocar a qualquer momento com muita qualidade.   

SEMIFINAIS


Absolutamente não. Achei que estava aberto essas semifinais. Qualquer das equipes que passassem era justo. Naturalmente a gente vai lutar muito pra ir a final. Vai vivenciar emoções e rivalidade. A parti de segunda vamos estar nos preparando para esse jogo.   

SEQUÊNCIA


Tem que trabalhar tudo na verdade. Não é que seja preocupação. Temos que cuidar dessas questões. Por isso, eventualmente, estou tirando um ou outro. Mantendo a base do time para que não desconfigure tanto. Temos que pensar que construímos durante todo o ano algo muito importante e esta perto de concretizar com conquistas. Vai ser um jogo extremamente difícil, porque o Atlético-MG está muito bem, muito bem comandado, e muito certo; luta muito, competitivo e técnico. O Cruzeiro também vai com todas as suas forças para buscar esse título.

DECISÃO NO INDEPENDÊNCIA?


- Não tem nenhum problema. Mas eu acredito que seja Mineirão. Por tudo que representa essa final, seria muito pequeno tirar público. Seria muito bom pra todo mundo e acredito que vá haver esse bom senso. 

DUAS TORCIDAS


- Eu sou a favor sempre de duas torcidas. Isso foi sempre uma tradição muito mais emocionante. Mas no Brasil ainda tem essa questão da briga das duas torcidas. Foguetes, o que eu já até achava que tinha acabado. Tivemos ontem uma madrugada de São João fora de época e fora do horário também.

Siga-nos

Mais do Guiame