MENU

Mundo

Inglês sobrevive a queda de 250m de penhasco e já planeja escalada

Inglês sobrevive a queda de 250m de penhasco e já planeja escalada

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:03
queda de penhasco
Um montanhista que sobreviveu a uma queda de 250 metros na Escócia disse à BBC que se sente sortudo por estar vivo e que pretende voltar a escalar.
 
O britânico Ollie Daniel, de 25 anos, estava acompanhado de outras duas pessoas – uma delas, seu pai – quando escalava o penhasco Coire Sputan Dearg, no norte do país, no domingo (5).
"Estávamos navegando a uma visibilidade quase nula quando dei um passo e não tinha nada embaixo. Então despenquei de uma altura de 250 metros", disse Daniel.
"Na hora, pensei: 'Já era'. A sensação que tive foi de que eu despenquei por um longo tempo até parar."
Ele lembra que houve momentos de deslizamento e queda livre.
 
"Houve apenas um grande impacto (quando chegou à terra firme), que parece ter sido responsável pela maior parte do estrago", afirmou.
Daniel sofreu lesões no fígado e nos pulmões, teve o pulso e nove costelas quebradas, além de vários cortes e contusões.
O britânico conta que, em seguida, se arrastou até um local mais protegido e se cobriu com seu saco de dormir, enquanto esperava ajuda.
Ele disse que, cerca de duas horas depois, ouviu um helicóptero da Força Aérea Britânica, o que foi um "grande alívio", mas também "muito desanimador", quando Daniel percebeu que o resgate estava indo para o local errado.
Mais tarde, o montanhista foi encontrado por uma equipe de resgate de montanha.
 
Daniel disse que se sentiu "sortudo" por duas razões: por ter sobrevivido a uma queda dessa altura e por ter sido encontrado pelo socorro.
Sobre planos de voltar às montanhas, ele disse: "A razão dessa escalada era fazer uma preparação para uma ainda maior."
 
Um grito
No hospital, o britânico disse: "Eu certamente já me senti melhor, mas, felizmente, não me sinto pior." Seu pai, James Daniel, deu sua versão do acidente: "Nós estávamos andando em uma fila de três, Ollie na frente e eu, atrás."
"Ele deu um passo, soltou um grito e desapareceu", contou.
 
"Chegamos o mais perto que conseguimos, e então começamos a pensar 'Oh, não, algo grave aconteceu aqui'", revelou o pai.
O grupo então conseguiu dar o alarme aos serviços de emergência, sem saber, porém, se Daniel estava vivo.
 
Siga-nos

Mais do Guiame