MENU

Alto Tietê chega a 4,6% devido chuvas abaixo da média em 10 meses

Precipitação ficou abaixo da média histórica em 10 dos 11 meses do ano. Nível é menor entre os seis grandes sistemas que abastecem a Grande SP.

fonte: globo.com

Atualizado: Terça-feira, 9 Dezembro de 2014 as 11:16

O nível do Alto Tietê, que abastece 4,5 milhões de pessoas, teve nova queda nesta terça-feira (9) e segue com o pior nível entre os seis grandes sistemas da Grande São Paulo. Com chuvas abaixo da média em 10 dos 11 meses do ano, o índice baixou 41,7 pontos percentuais em 2014.

No dia 1º de janeiro, o nível estava em 46,3%. Nesta terça, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) registrou um volume acumulado de 4,6%.

O único mês de 2014 com chuva acima do esperado até agora foi setembro, quando choveu 103,1 mm contra média histórica de 84,5 mm. Até agora, em dezembro, a chuva foi de 9,6 mm. A média para o mês é de 192,8 mm.

Além da chuva escassa, o Alto Tietê passou a abastecer parte da população atendida pelo Cantareira desde março. A medida foi tomada pelo governo do estado de São Paulo para tentar amenizar a crise no Cantareira.

Apesar do nível baixo, ainda não foi usada a reserva técnica do sistema. A Sabesp informou que os reservatórios do Alto Tietê também têm disponível volume morto a ser explorado, mas informou que não há previsão para o início da captação da água do fundo das represas.

A Sabesp não informou quantos litros há no volume morto do Sistema Alto Tietê.

Cantareira
Com volume morto e já explorando sua segunda cota, o nível do Sistema Cantareira chegou a 7,7% na manhã desta terça. O índice registrou queda após mais um dia sem chuvas na região das represas.

Em dezembro, o Cantareira ainda não recebeu fortes chuvas. No último mês do ano, choveu nas represas apenas em dois dias. Porém, sem intensidade, as precipitações de 1,4 milímetro no dia 1º, e 1,9 milímetro no dia 5, não ajudaram na recuperação do sistema.

Excetuando as retiradas das cotas do volume morto, faz 237 dias (desde 16 de abril) que o nível do Cantareira não sobe.

chuva,São Paulo,secaOutros Sistemas
Não choveu em nenhum dos sistemas da Grande São Paulo, o que não ajudou na recuperação dos sistemas. Confira abaixo a variação dos níveis nos outros quatro reservatórios:

- Guarapiranga: de 31,8% para 31,6%;

- Alto Cotia: de 29,5% para 29,4%;

- Rio Grande: de 62,2% para 62,1%;

- Rio Claro: de 28,8% para 28,3%.

Cantareira
Com volume morto e já explorando sua segunda cota, o nível do Sistema Cantareira chegou a 7,7% na manhã desta terça. O índice registrou queda após mais um dia sem chuvas na região das represas.

Em dezembro, o Cantareira ainda não recebeu fortes chuvas. No último mês do ano, choveu nas represas apenas em dois dias. Porém, sem intensidade, as precipitações de 1,4 milímetro no dia 1º, e 1,9 milímetro no dia 5, não ajudaram na recuperação do sistema.

Excetuando as retiradas das cotas do volume morto, faz 237 dias (desde 16 de abril) que o nível do Cantareira não sobe.

Outros Sistemas
Não choveu em nenhum dos sistemas da Grande São Paulo, o que não ajudou na recuperação dos sistemas. Confira abaixo a variação dos níveis nos outros quatro reservatórios:

- Guarapiranga: de 31,8% para 31,6%;

- Alto Cotia: de 29,5% para 29,4%;

- Rio Grande: de 62,2% para 62,1%;

- Rio Claro: de 28,8% para 28,3%.

veja também