MENU

Após chuva, Rio Piracicaba tem vazão 10 vezes maior

Volume subiu de 6,5 mil litros por segundo para 67 mil; veja antes e depois. Em quatro horas, choveu na cidade mais do que no mês de outubro inteiro.

fonte: Globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 3 Novembro de 2014 as 1:27

Após chuva, Rio Piracicaba tem vazão 10 vezes maior

As pedras do fundo do Rio Piracicaba que estavam aparentes devido à estiagem voltaram a ficar cobertas pela água nesta segunda-feira (3), após a chuva deste domingo (2). Em quatro horas, choveu em Piracicaba (SP) mais do que todo volume registrado em outubro inteiro, conforme informações do Insituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Com isso, a vazão do rio ficou 10 vezes maior, chegando a 67 mil litros por segundo nesta manhã, de acordo com informações do Sistema de Telemetria do Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). A previsão é de chuva para todos os dias desta semana.

A chuva teve início por volta das 20h do domingo e foi até 0h desta segunda. Ao todo foram 36,6 milímetros, volume maior que os 23,5 milímetros registrados em outubro deste ano. Segundo o Departamento de Águas e Energia (Daee), em 2013, novembro teve 100 milímetros de chuva acumulada, e outubro do ano passado, 156 milímetros.

O volume de água do Piracicaba na região da Rua do Porto era de 6,5 mil litros de água por segundo às 8h30 do domingo e, no mesmo horário desta segunda, chegou aos 67 mil litros de  por segundo. A profundidade do rio nesta manhã era de 1,60 metro, o dobro da registrada no dia anterior.

Segundo a professora de ecologia da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep), Silvia Gobbo, a melhora nas condições do rio só será mantida se as chuvas previstas para os próximos dias se confirmarem. Caso contrário os níveis devem voltar a baixar e as chances de mortandade de peixes são grandes.

 

Espuma branca
A forte chuva também provocou grande quantidade de espuma na água, resultado de diversas substâncias que foram levadas para o manancial. "É como se toda área do entorno do rio fosse lavada pela chuva, e isso arrasta para o rio substâncias como poeira, agrotóxicos do campo, óleo do asfalto, fuligem dos combustíveis dos veículos, entre outros", disse a professora.

De acordo com Silvia Gobbo, esse processo é chamado de poluição difusa e pode provocar mortandade de peixes caso as precipitações não sejam constantes. "É a única maneira de o oxigênio da água não diminuir. Entramos no período de Piracema no sábado (1), então é fundamental que a chuva não pare", afirmou.

 

Rio Piracicaba neste domingo (2) (Foto: Araripe Castilho/G1)
Rio Piracicaba na manhã deste domingo (2) na região da Rua do Porto (Foto: Araripe Castilho/G1)
Rio Piracicaba nesta segunda-feira (3) (Foto: Leon Botão/G1)
Na manhã desta segunda-feira (3), água cobria pedras do fundo do Rio Piracicaba (Foto: Leon Botão/G1)
Salto do Rio Piracicaba 'sumiu' com vazão abaixo da média nesta terça (7) (Foto: Leon Botão/G1)
Salto do Rio Piracicaba no dia 7 de outubro (Foto: Leon Botão/G1)
Salto do Rio Piracicaba nesta segunda-feira (3) (Foto: Leon Botão/G1)
Salto do Rio Piracicaba nesta segunda-feira (3) (Foto: Leon Botão/G1)

veja também