MENU

Choveu nesta segunda-feira em SP 30% do esperado para dezembro

Em toda cidade, média de chuva foi de 60,3 mm, segundo dados do CGE. Temporal provocou morte em Higienópolis e queda de muro de cemitério.

fonte: globo.com

Atualizado: Terça-feira, 23 Dezembro de 2014 as 12:06

A chuva que atingiu a capital paulista na noite desta segunda-feira (22) foi 31% da esperada para todo dezembro, segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura de São Paulo. Choveu em toda cidade 60,3 mm, enquanto a média histórica para o mês é de 193,1 mm. O acumulado do mês chegou a 171,8 mm.

A região mais atingida pela chuva foi a Vila Mariana, na Zona Sul, com 105,2 mm durante a segunda-feira, seguido da região da Consolação (96 mm), Pirituba (94 mm), Mooca (88,8 mm), Santo Amaro (80,6 mm), Sé (78,2 mm) e Vila Prudente (73,2 mm). No Rio Tietê, perto da Ponte do Piqueri, choveu 141,5 mm, segundo dados do CGE.

O CGE diz que o Rio Tietê chegou a transbordar junto à Ponte das Bandeiras, no sentido Rodovia Castello Branco, por volta da 1h15. Por causa disso, a região ficou em estado de alerta até as 2h17. O G1 procurou o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), que faz o monitoramento do Rio Tietê, para confirmar o extravasamento, e aguarda um retorno.

A forte chuva resultou na morte de uma pessoa, fez ao menos cinco córregos transbordarem, derrubou parte do muro do Cemitério da Consolação sobre um veículo na Rua Mato Grosso, alagou e interditou avenidas, como a Vinte e Três de Maio, na região do Ibirapuera, o Túnel do Anhangabaú e o Terminal Bandeiras, no Centro, impedindo inclusive a circulação de ônibus e veículos na região central.

Morte em Higienópolis
O passageiro de um táxi morreu na noite de segunda-feira (22) ao ser atingido por uma árvore que caiu sobre o veículo onde estava durante a forte chuva em Higienópolis, área nobre na região central da cidade. De acordo com o taxista José Gilberto Tobias, o passageiro trabalhava na Avenida Angélica e tinha pego o táxi às 21h30 em direção a Casa Verde, na Zona Norte, onde morava.

“Fui fazer uma conversão para poder atravessar a Avenida Angélica. Parei no farol e a árvore caiu em cima do carro. E o passageiro viu a árvore caindo. Ele falou: ‘cuidado, cuidado, cuidado’. Cuidado o quê? Fiquei procurando, e a árvore plam! Em cima do carro”, disse o taxista. Até as 8h desta terça-feira (23), a árvore ainda bloqueava a Rua Itacolomi.

Temporal
Todas as regiões da capital foram colocadas em estado de atenção pelo CGE a partir das 21h. Desde as 16h15, no entanto, pancadas localizadas atingiram distintas regiões da cidade. Desta forma, as regiões eram colocadas e tiradas do estado de atenção conforme a intensidade da chuva. Até a 0h30 desta terça-feira (23), toda a capital estava em atenção.

No início da madrugada, regiões de São Paulo entraram em estado de alerta: a subprefeitura do Ipiranga, devido aos transbordamentos dos córregos Ipiranga e Ribeirão dos Meninos; a subprefeitura de Pirituba, devido ao transbordamento do Córrego Ribeirão Vermelho; a subprefeitura do Aricanduva, por conta da inundação do Córrego Aricanduva; e a subprefeitura da Sé, devido ao transbordamento do Rio Tamanduateí, na altura da Rua Mercúrio.

Na Zona Oeste, uma forte chuva rápida deixou as vias alagadas, como a Rua Turiassu e a Avenida Francisco Matarazzo, atrapalhando o trânsito na região. De acordo com o CGE, as áreas foram formadas pela passagem de uma frente fria que provocaram chuvas de até forte intensidade em praticamente todas as regiões da capital.

Por volta das 22h30, parte do muro do Cemitério da Consolação desabou sobre um veículo que se encontrava na Rua Mato Grosso. Ao menos sete equipes foram enviadas ao local para atender a ocorrência, mas ninguém se feriu.

Um carro ficou preso em uma cratera que se formou na Rua Dona Veridiana, em Santa Cecília. Ninguém ficou ferido.

Áreas de instabilidade
Segundo o CGE,  áreas de instabilidade vindas do interior atuaram com forte intensidade em alguns bairros da capital. Houve precipitação com pontos moderados na Zona Oeste, nos bairros de Jaguaré, Rio Pequeno, Butantã, Jaraguá e Vila Leopoldina.O mesmo ocorreu nos municípios de Osasco, Carapicuíba e Taboão da Serra, na Grande São Paulo, a precipitação é moderada. De acordo com o CGE, houve registro de chuva na região do sistema Cantareira.

A previsão para os próximos dias é de mais chuva, de acordo com o órgão da Prefeitura. A propagação da frente fria causa nebulosidade, declínio das temperaturas e chuvas ao longo da terça-feira (23) na capital. Os termômetros devem variar entre mínimas de 19ºC e máximas que não devem superar os 23ºC. A continuidade das chuvas eleva os riscos de alagamentos e deslizamentos de terra.

 

veja também