MENU

Cubana do 'Mais médicos' abandona posto em Santos e foge para os EUA

Yaumara Perez Garriga, de 30 anos, trabalhava em São Vicente, SP. Segundo pessoas próximas à médica, ela já planejava ir para os EUA.

fonte: Globo.com

Atualizado: Quarta-feira, 24 Setembro de 2014 as 2:07

Uma médica cubana abandonou o serviço em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em São Vicente, no litoral de São Paulo. Segundo amigos da cubana ouvidos pela reportagem do G1, ela estaria morando nos Estados Unidos após ter planejado, com bastante antecedência, a fuga do Brasil.

Yaumara Perez Garriga, de 30 anos, é natural da cidade Las Martinas, em Cuba. Ela chegou em São Vicente em novembro do ano passado com outros três profissionais cubanos do Programa 'Mais Médicos', do Governo Federal. Na chegada, ela se mostrou otimista. "Nosso trabalho é que vai falar por nós”, disse ela, na época. Yaumara foi direcionada para trabalhar na UBS Parque São Vicente.

Yaumara abandonou o serviço na semana passada, quando realizou os últimos atendimentos médicos dentro da UBS. Segundo os amigos dela, a médica cubana tinha um temperamento tranquilo e era conhecida como 'bonequinha' por algumas pessoas dentro do hospital. Os amigos contam que ela planejou se mudar para Miami e, assim que chegou aos Estados Unidos, conversou com alguns conhecidos por meio das redes sociais, afirmando que tudo teria ocorrido como o planejado inicialmente.

O G1 entrou em contato com a UBS Parque São Vicente, na manhã desta quarta-feira (24), à procura da médica. Um funcionário havia sido orientado a informar que Yaumara, na verdade, estava afastada do trabalho e que não tinha previsão de retorno.

Já a Secretaria da Saúde de São Vicente informou ao G1, por meio de nota, que a médica cubana Yaumara Perez Garriga não compareceu ao serviço na segunda-feira (22) alegando ter uma consulta médica em São Paulo. Na terça-feira (23), uma amiga informou a Diretoria de Atenção Básica (DAB) que a médica teria viajado para os Estados Unidos. A Sesau entrou em contato com o Ministério da Saúde e informou sobre a fuga. Segundo o Ministério da Saúde, a médica só pode ser notificada após 48 horas de ausência injustificada. A Sesau informa ainda que já pediu ao Ministério da Saúde a reposição da profissional.

veja também