MENU

Desconto para quem economizar água passa a valer para 31 cidades de SP

Desconto para economia de água passa a valer em 31 cidades de SP

fonte: Globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 31 Março de 2014 as 1:51

racionamento de água em SP

O governo de São Paulo anunciou que, a partir desta terça-feira (1°), vai ampliar para 31 cidades da Região Metropolitana o desconto aos consumidores que reduzirem em 20% o uso de água. Antes, o "bônus" de 30% no valor da conta só valia para moradores de 11 municípios de regiões abastecidas pelo Sistema Cantareira, que sofre com a falta d'água nos reservatórios.

"Apenas cinco [municípios da Região Metropolitana ficam de fora]: Guarulhos, Mogi das Cruzes, Mauá, Santo André e São Caetano, porque não são operados pela Sabesp", afirmou Alckmin.
De acordo com Alckmin, a política de bônus já contribuiu para a redução no consumo de água. O balanço da Sabesp aponta que 76% dos consumidores reduziram seus gastos, sendo que 37% destes conseguiram o desconto. Por outro lado, 24% aumentaram o consumo.


Com a ampliação da lista de cidades atendidas, cerca de 17 milhões de clientes podem ser beneficiados na região metropolitana. O objetivo, de acordo com a presidente da Sabesp, Dilma Penna, é passar de 4,1 para 6 metros cúbicos por segundo de economia de água.


O programa de bônus teve o seu pior desempenho entre os moradores de condomínios. “A maioria tem um único medidor e as pessoas não têm contato direto com a fatura da água. É uma explicação, mas não é uma justificativa, porque nós estamos passando por um evento crítico inédito na história de São Paulo”, afirmou a presidente da Sabesp, Dilma Penna.

Seca recorde nos reservatórios
Nesta segunda-feira (31), o Sistema Cantareira chegou a um índice de 13,4%, 0,1% a menos que no domingo (30). Segundo a Sabesp, a água dos reservatórios abastece 8,1 milhões de pessoas nas zonas Norte e Central e em parte das zonas Leste e Oeste da capital, além dos municípios de Franco da Rocha, Francisco Morato, Caieiras, Osasco, Carapicuíba e São Caetano do Sul. O Cantareira atende, ainda, parte dos municípios de Guarulhos, Barueri, Taboão da Serra e Santo André.

Atualmente com 37,3% da capacidade, o Sistema Alto Tietê tem o nível mais baixo dos últimos dez anos para o mês de março. Segundo a Sabesp, desde dezembro as represas da região abastecem parte da Zona Leste da capital, que normalmente é atendida pelo Sistema Cantareira.


O Alto Tietê abastece 3,3 milhões de pessoas na Zona Leste da capital e nos municípios de Arujá, Itaquaquecetuba, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, Mauá, Mogi das Cruzes, parte de Santo André e dois bairros de Guarulhos (Pimentas e Bonsucesso). De lá para cá, o sistema viu seu volume de água cair 11,3%. A Sabesp informou que, com a mudança, 1,6 milhão de pessoas passaram a receber água do Sistema Alto Tietê e também do Guarapiranga.


Dentre os sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema Guarapiranga foi o único que subiu nesta segunda-feira: foi para 77%, 0,5% a mais que o registrado domingo. A água, que vem das represas Guarapiranga e Billings, abastece 3,7 milhões de pessoas nas zonas Sul e Sudoeste da capital, segundo a Sabesp.

Desconto desde março
O governo estadual tomou a medida de emergência em razão do nível crítico do Sistema Cantareira, mas a decisão só foi anunciada pelo governador Geraldo Alckmin no dia 6 de março. Contudo, a Sabesp afirma que a produção de água do Cantareira continua em 14,65 m³/s, mesmo após o plano de emergência. A Sabesp não informou se há um tempo limite para uso dos recursos do Alto Tietê.


Outra medida estudada pelo governo para evitar o racionamento é a ampliação da transferência de outros sistemas para o Cantareira. Atualmente, o sistema Guarapiranga, que já transfere 1 metro cúbico por segundo, passará a fornecer mais 2,3 metros cúbicos por segundo a partir de setembro. Já o Alto Tietê já transfere 2,2 metros cúbicos por segundo e passará a transferir 2,6%. Além dessas transferências, o governo estuda fazer uma transferência 0,5 a 0,7 metros cúbicos por segundo do Sistema Riacho Grande, que atualmente não tem contribuído com o Cantareira.


O governo também propôs uma interligação dos reservatórios do sistema Cantareira com a bacia do Rio Paraíba do Sul, que abastece também cidades do Rio de Janeiro. Quando foi apresentada, a proposta provocou polêmica e deve ser discutida por equipes técnicas do Rio e de São Paulo nos próximos dias. “Não tem interferência prática para o Rio de Janeiro porque não se discute redução da vazão”, garantiu Alckmin.


Saiba como economizar
Para economizar água, a Sabesp recomenda que o consumidor adote algumas atitudes diárias. Veja abaixo:
- Tome banhos rápidos e feche a torneira ao se ensaboar;
- Lave a louça de uma vez e feche a torneira ao ensaboá-la;
- Não lave a calçada nem o quintal, use a vassoura;
- Ao lavar o carro, use um balde;
- Acumule roupas para lavar na máquina de uma vez só;
- Deixe a torneira fechada ao escovar os dentes e fazer a barba.
Outro fator que colabora para o desperdício de água são os vazamentos. A Sabesp oferece um curso gratuito que ensina práticas simples para identificar possíveis problemas em instalações hidráulicas. O programa é aberto ao público em geral e ministrado nos períodos da manhã e da tarde.

veja também