MENU

Dois argentinos são presos após imitarem macaco para torcedores brasileiros

Dois argentinos são presos após imitarem macaco para torcedores brasileiros

fonte: EXTRA

Atualizado: Terça-feira, 17 Junho de 2014 as 8:21

Argentinos detidos por invasão Durante a estreia de Messi e companhia na Copa do Mundo, a rivalidade entre brasileiros e argentinos deu às arquibancadas do Maracanã um clima de mata-mata da Libertadores. Mas as provocações entre os torcedores acabaram passando dos limites e chegaram à 17ª DP (São Cristóvão): dois argentinos foram acusados por uma família brasileira que estava no estádio de “fazer sons de macacos e se coçarem como se fossem primatas” após o gol da Bósnia, no segundo tempo.

No final do jogo, os brasileiros, indignados com a ofensa, alertaram PMs do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), que conseguiram identificar e prender dois integrantes do grupo: Cristian Schinocca, 27 anos, e Matias Gramado, de 26.

Na delegacia, os dois prestaram depoimento e negaram que tivessem feito manifestações racistas. Segundo o relato dos argentinos, que vieram de Buenos Aires, eles só teriam “respondido às provocações” dos brasileiros. Segundo o delegado Maurício Luciano, titular da 17ª DP, que abriu inquérito para investigar o caso, os “hermanos” foram liberados, mas, ao fim da investigação podem responder por injúria racial, com pena de até três anos de reclusão.

— Vou pedir as imagens das câmeras de segurança do estádio e ouvir testemunhas para tentar identificar outras pessoas que faziam parte do grupo de argentino que estava imitando macacos — disse.

As provocações também acabaram levando brasileiros e argentinos às vias de fato. Por conta de uma confusão que acabou em pancadaria na saída do estádio, dois brasileiros e dois argentinos foram detidos pelo Gepe e levados ao Juizado do Torcedor.

Antes do início do jogo, um grupo de cerca de 30 argentinos invadiu o estádio pelo setor D. Entretanto, somente nove foram detidos. Um deles conseguiu pular o muro e só foi preso no interior do estádio, por conta dos arranhões no braço e marcas na roupa, identificadas por um segurança. Após o ocorrido, o Comitê Organizador Local informou que vai aumentar a segurança nos acessos ao estádio para o próximo jogo, na quarta-feira.

MP denuncia quatro argentinos por invasão

Dos nove torcedores encaminhados ao Juizado do Torcedor pela invasão do estádio, três não aceitaram a proposta de transação penal do Ministério Público e foram denunciados por conduta inconveniente. Outro argentino, que tentou invadir o gramado para ter contato com os jogadores após o fim do jogo, também acabou denunciado pelo mesmo crime. Todos terão que comparecer à Audiência de Instrução e Julgamento no dia 31 de julho

Os outros seis torcedores, flagrados quando pulavam uma das roletas instaladas perto da rampa de acesso à arquibancada, aceitaram a proposta do MP para pagamento de cesta básica.

Ao longo do dia de domingo, também foram detidos no entorno do Maracanã turistas de quatro nacionalidades diferentes, acusados de cambismo: um argentino, três ingleses, um chileno e até um chinês. Todos tentavam vender entradas para Argentina e Bósnia por, pelo menos, 500 dólares.

Antes do jogo, diversos casos de roubos e furtos foram registrados nas delegacias próximas ao estádio. Por volta das 15h30m, um funcionário da rede britânica BBC, que estava se dirigindo à área de imprensa, foi abordado por quatro homens que se disseram policiais e investigavam cambismo. Após “dar voz de prisão” ao homem, retiraram o ingresso da sua mão e fugiram. O caso foi registrado na 18ª DP (Praça da Bandeira).

veja também