MENU

Dois meses antes, comandante da Emirates descreveu cenário da tragédia com o A320 da Germanwings

“Eu me pergunto regularmente sobre quem está ao meu lado na cabine", escreveu em artigo publicado em revista

fonte: Guiame, com informações de O Globo

Atualizado: Terça-feira, 31 Março de 2015 as 9:14

Airbus A320
Airbus A320

Jan Cocheret é um piloto holandês da Emirates. Dois meses antes da tragédia com o A320 da Germanwings, ele publicou um artigo no qual comenta a possibilidade de acontecer algo exatamente como o que aconteceu com o avião que caiu na França.

A suspeita é que o acidente tenha sido causado propositalmente pelo copiloto Andreas Lubitz, que as investigações apontam que sofria de alguns problemas emocionais.

No artigo, Cocheret questiona o comportamento dos companheiros de profissão que dividem a cabine com ele.

“Graças às portas blindadas extra-seguras, não há mais dificuldade para um piloto impedir ao seu colega o acesso à cabine. Basta esperar que ele saia para satisfazer suas necessidades naturais”, escreveu ele na revista Piloot en Vliegtuig.

“Eu me pergunto regularmente sobre quem está ao meu lado na cabine. Como estar seguro de poder confiar nele? Talvez algo de terrível tenha acontecido em sua vida, e que ele é incapaz de superar. Espero que depois de uma pausa xixi, não me encontre nunca diante de uma porta de cabine trancada. Não há, então, nada a fazer a não ser ir se sentar com os demais passageiros e esperar o que vai acontecer”, completou.

Nas gravações da caixa preta do avião, foi possível ouvir Patrick Sondenheimer, o piloto da aeronave, gritando, como se o cenário imaginado por Cocheret acontecesse: "Pelo amor de deus, abre a porta! (...) Abra essa maldita porta."

Após o acidente, Jan Cocheret lamentou o ocorrido em sua página no Facebook: "Este cenário assustador infelizmente se tornou realidade.”


.

veja também