MENU

Em Belo Horizonte, veículo do Move bate em 13 veículos

Motorista do coletivo teria passado mal, causando o acidente. Colisões aconteceram em frente ao Hospital das Clínicas.

fonte: Globo.com

Atualizado: Terça-feira, 2 Setembro de 2014 as 12:24

Um ônibus do Move bateu em 13 veículos na Avenida Alfredo Balena, no bairro Santa Efigênia, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta terça-feira (2), segundo informações da Polícia Militar. O acidente aconteceu em frente ao Hospital das Clínicas. A causa mais provável é que o motorista tenha passado mal, causando o acidente.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o Move atingiu 11 carros e dois coletivos, e deixou pelo menos oito pessoas feridas. Três vítimas, inclusive o motorista do Move, foram socorridas para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Dos carros atingidos, há uma ambulância e um táxi. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a maioria dos feridos reclamava de dores nas costas e no pescoço.

A Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou que a pista da Avenida Alfredo Balena estava interditada no sentido Avenida Afonso Pena. Os motoristas enfrentavam trânsito congestionado na região.

Às 11h, o trânsito começou a ser parcialmente liberado. A perícia da Polícia Civil autorizou a remoção dos veículos envolvidos no acidente e que a BHTrans liberasse o trânsito no local por volta das 9h40.

Ainda segundo a BHTrans, o acidente causava retenções nas avenidas Professor Moraes e Nossa Senhora do Carmo, e na Avenida dos Andradas, entre as avenidas Francisco Sales e Contorno. Os congestionamentos eram no sentido região hospitalar

De acordo com o tenente da PM Gil César, as testemunhas contaram que o motorista "apagou" na direção e entrou acelarando na Avenida Alfredo Balena.

O motorista Vanderlúcio Machado, de 45 anos, dirigia o ônibus 5503-A (Goiânbia / Centro / Via Hospitais), que também foi atingido na batida. "Eu estava parado no sinal e só ouvi o barulho. [O ônibus] veio rodando, igual a cena de filme. O cobrador falou: 'acelera, acelera'".

Célia Aparecida, de 58 anos, mora em Betim, na Grande BH, e veio à capital mineira para fazer um exame. "Só ouvi o barulho e, quando olhei, vi faísca, fumaça e pedaços arrancados de carros. Uma moça que estava em uma cadeira de roda, ao meu lado, caiu no chão de susto", disse a testemunha que estava na calçada.

veja também