MENU

Em Curitiba, Greve de ônibus prejudica usuários

Em Curitiba, Greve de ônibus prejudica usuários

Atualizado: Quarta-feira, 26 Fevereiro de 2014 as 6

transito_curitiba
Os usuários do transporte coletivo de Curitiba tiveram que improvisar a ida para o trabalho na manhã desta quarta-feira (26) devido à greve dos motoristas e cobradores, deflagrada no início da madrugada. Mesmo com a determinação da empresa que gerencia o transporte público na cidade, Urbs, de que pelo menos 40% da frota circule em horários normais, e 70% nos horários considerados de pico, não havia funcionários nos pontos e terminais de ônibus por volta das 6h30.
Neste horário, havia vários pontos de congestionamento na cidade e fila de espera para conseguir um táxi, que estava demorando cerca de uma hora para chegar ao local da chamada. A determinação da Urbs foi obtida na justiça e prevê multa caso não seja cumprida. A greve foi deflagrada por tempo indeterminado.
 
Perto das 8h15 da manhã, na Praça Rui Barbosa, a vigilante Edileuza de Aquino, de 35 anos, ficou indignada com a situação. "Eu ia fazer uma prova de tiro e não sabia dessa paralisação. É um absurdo ter que passar por isso. Eu estou desesperada e preciso urgente de uma carona".
 
Cerca de 12 mil funcionários, entre motoristas e cobradores, estão paralisados, garante o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana  (Sindimoc). O número significa 100% do quadro de funcionários, segundo o sindicato.
 
Ao G1, o Sindimoc informou que a determinação da frota mínima não foi cumprida porque a categoria não tinha recebido nenhum documento oficial da Urbs até o início da manhã. Ainda conforme o sindicato, mais de 2 milhões de usuários dependem do transporte público diariamente na capital.
 
A assembleia geral que decidiu pela greve ocorreu entre o fim da noite de terça-feira (25) e madrugada desta quarta e reuniu aproximadamente 3,5 mil trabalhadores participaram. Os trabalhadores pedem aumento real de 16% para motoristas e 22% para cobradores, enquanto a proposta patronal abrange apenas a inflação dos últimos 12 meses – 5,2%. Ainda segundo a categoria, outras 77 reivindicações elaboradas, como aumento do vale-alimentação, também não foram aceitas.
 
Urbs cadastra transporte alternativo
A Urbs divulgou nesta quarta-feira que está cadastrando carros particulares para atuarem com transporte alternativo durante a greve de motoristas e cobradores. Os veículos cadastrados serão autorizados a cobrar, no máximo, R$ 6,00 por pessoa. Até as 10h, de acordo com a Urbs, 70 carros haviam sido cadastrados.
O cadastramento está sendo feito na área de táxi na rodoferroviária. Segundo a empresa, os carros devem estar em boas condições e os que não têm registro na Urbs passarão por uma vistoria dos técnicos da empresa que também vão conferir a documentação pessoal e do veículo – carteira de motorista, RG e CPF.
 

veja também