MENU

Geraldo Alckmin nega captação ilegal da água de segunda cota do volume morto

ANA disse que empresa avançou limite no reservatório de Atibainha. Alckmin diz que fala da presidente da Sabesp sobre seca foi deturpada.

fonte: Globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 16 Outubro de 2014 as 1:19

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou na manhã desta quinta-feira (16) que a  Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) não realizou captação ilegal da segunda cota do volume morto, como atestou relatório divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

"É óbvio que não estamos utilizando [a 2ª cota]", afirmou o governador. “Se nós temos ainda 40 milhões de litros de água da primeira reserva técnica, porque você vai entrar na segunda? Não tem sentido, é um tecnicismo”, afirmou.

A captação apontada pela ANA na represa de Atibainha é ilegal, já que a Justiça Federal proibiu em decisão liminar a captação da segunda cota do volume morto. “Estamos já com o pedido para derrubar a liminar no Tribunal mostrando todos os argumentos”, afirmou o governador.

Alckmin pregou união no momento de dificuldade e disse que quer ter um bom relacionamento com a agência federal. “Nós precisamos, em momentos de dificuldade, nos unirmos todos, para resolver problemas, equacionar o problema. Então, não tem razão, nós queremos ter um bom relacionamento com a ANA, acho que ela não fez isso por maldade, mas é óbvio que não entrou, porque você tem 40 bilhões ainda de litros do primeiro (volume morto)”, disse Alckmin.

Declaração sobre fim da água
Alckmin disse ainda que a afirmação da presidente da Sabesp, Dilma Pena, sobre o fim da água em meados de novembro caso não chova, está deturpada. A afirmação de Alckmin foi feita no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da cidade, em seu primeiro compromisso público como governador após a assinatura de decreto que expande o Programa Banda Larga Popular, criado em 2009.

"Quero deixar claro o seguinte: foi deturpada a afirmação da presidente da Sabesp, doutora Dilma, desinformando a população. Nós temos uma primeira reserva técnica, com 40 milhões de metros cúbicos de água, e temos uma segunda reserva técnica, também já preparada, as obras estão praticamente prontas, com 108 milhões de metros cúbicos de água, isso só falando no Cantareira", disse o governador.

Na quarta-feira (15), A presidente da Companhia de Saneamento Básico do estado de São Paulo (Sabesp), Dilma Pena, disse nesta quarta-feira (15) que, se a chuva continuar escassa, a primeira cota do volume morto acabada em “meados de novembro”. “Nós temos uma disponibilidade suficiente para atender a população nesse regime de chuvas até meados de novembro", disse a presidente da Sabesp aos vereadores.

Alckmin foi enfático ao rebater as afirmações: "Não vai acabar a água. Vai acabar uma reserva técnica. E se acabar há uma segunda reserva técnica muito maior", disse o governador.

Ampliação do bônus
Para ajudar a solucionar a crise do desabastecimento de água, Alckmin informou que propôs à Sabesp um bônus gradual. Com isso, o usuário não precisaria atingir os 20% de redução para obter o desconto, que seria feito de acordo com o que ele economizou. A medida valerá para toda a região metropolitana e Campinas.

“Às vezes a pessoa reduziu o consumo 15%, 18%,19%, mas não ganhou o bônus, não conseguiu chegar nos 20%, então acaba desanimando. Então, nós propusemos a Sabesp para que dê também bônus menores. Quem economizou 5%, terá 5% de redução da conta de água, além do que já economizou”, disse Alckmin.

 
 
 

veja também