MENU

Médico ignora fila e dorme em beliche

Médico ignora fila e dorme em beliche

fonte: Globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 5 Junho de 2014 as 3:47

Médico foi flagrado descansando durante expediente em CaraguatatubaA Prefeitura de Caraguatatuba (SP) espera receber na próxima terça-feira (10) uma explicação sobre o flagrante feito por um morador que mostra um médico dormindo no horário do expediente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do centro da cidade. A expectativa é que o profissional seja afastado de suas funções na rede pública de saúde.
O flagrante foi feito pelo frentista Cristian Romão na segunda-feira (2). Após esperar atendimento no local por 4 horas, o paciente resolveu andar pelos corredores da unidade e conseguiu fotografar três médicos descansando em uma sala.

"Eu disse: 'Doutor, você não vai atender a gente, não?' Ele disse que já ia. Aí eu tirei a foto. Havia umas 30 pessoas para ser atendidas. Depois que eu vi e fotografei, passaram 40 minutos e todos tinham sido atendidos", disse Cristian.

O secretário de Saúde da cidade, Sérgio Braz, disse que a prefeitura tomou conhecimento do ocorrido pelas redes sociais e acionou a empresa Corpore, responsável pelo gerenciamento da UPA. "Soubemos no dia seguinte e, de imediato, notificamos a empresa. Ela tem cinco dias para dar uma resposta. Dois médicos estavam em horário de descanso mesmo e o outro estava lá, mas, infelizmente, não deveria estar", afirmou.

A prefeitura informou que, no momento do flagrante, apenas um médico estava fazendo atendimento à população.

O Instituto Corpore informou, por meio de nota, que vai encaminhar a foto ao Conselho Regional de Medicina (CRM). "Sobre o caso ocorrido na segunda-feira, o Instituto Corpore [IC] esclarece que não concorda com a atitude do médico e tomou providências administrativas e contratuais que resultam em sua saída imediata da escala de atendimentos. Além disso, o IC irá encaminhar as imagens do ocorrido ao Conselho Regional de Medicina de São Paulo para que a entidade adote as atitudes que julgar necessárias", informou.

veja também