MENU

Mesmo com segunda cota do volume morto, níveo do complexo Cantareira chega a 13%

Em três dias, manancial perdeu 0,6% de água armazenada; pluviometria registrada em outubro representa 32,5% da média histórica do mês

fonte: VEJA

Atualizado: Segunda-feira, 27 Outubro de 2014 as 2:23

O volume de água armazenada no Sistema Cantareira voltou a cair nesta segunda-feira, de 13,2% para 13% da capacidade total dos reservatórios, segundo dados da situação dos mananciais da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Desde que a segunda cota do volume morto foi incluída, na última sexta, o sistema vem registrando queda de 0,2 ponto porcentual por dia.

Antes de a segunda cota do volume morto entrar no cálculo da Sabesp, o nível do Cantareira estava em apenas 3%, o mais baixo já registrado. Após a adição de 105 bilhões de litros da reserva emergencial, o volume útil de água subiu para 13,6%. Três dias depois, no entanto, o sistema já caiu 0,6 ponto porcentual.

Segundo o site de monitoramento da Sabesp, a pluviometria registrada nesta segunda-feira sobre a região do sistema é de 11,9 milímetros. No mês de outubro, contudo, o volume acumulado de chuvas soma 42,5 milímetros - que representa apenas 32,5% da média histórica do mês, de 130,8 milímetros.

 

veja também