MENU

No ABC, ladrão ameaça garoto e mãe bate no criminoso com Skate‏

fonte: Globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 2 Outubro de 2014 as 10:37

Um suspeito de tentativa de roubo foi agredido por uma mãe que tentava defender o filho de apenas 4 anos durante um assalto em São Caetano do Sul, no ABC, na madrugada desta quarta-feira (1). O homem apanhou da mulher com um skate após ameaçar a criança com uma arma de brinquedo.

“Ele apanhou para parar de ser covarde e mexer com o filho dos outros”, disse a mãe da criança, uma estudante de 21 anos. Ela pediu para não ter a identidade revelada. O pintor, de 26 anos, que já tinha passagem pela polícia por roubo, foi preso em flagrante.

Cerca de 15 minutos após a meia-noite, a estudante chegava em casa, no bairro Olímpico. Ela estava de carro com seu filho, quando foi abordada. Segundo a Polícia Civil, a vítima relatou que precisou descer do veículo para abrir o portão da residência, já que seu controle remoto estava com defeito, quando viu um homem correndo em sua direção com a arma na mão. “Eu peguei a criança e joguei para dentro da garagem”, contou ela.

De acordo com a vítima, o homem chegou e só foi anunciar o assalto após ameaçar seu filho. “Ele apontou a arma para o menino, foi querer pegá-lo e falou que era para eu ficar quieta senão iria matar meu filho”, lembra, emocionada.

Quando o criminoso se aproximou, a vítima notou que ele portava uma arma de brinquedo. Então, jogou os pertences no chão e recusou-se a entregá-los. No momento em que o assaltante abaixou para pegar a chave do carro, a mulher pegou o skate do irmão e bateu nas costas do suspeito, que tem cerca de 1,80 metro de altura. Baixinha, a vítima relatou “que se sente uma anã” perto do suspeito.

Questionada de onde tirou forças, ela respondeu: “Eu acho que não tem nem como explicar. Tem gente que fala: ‘Você não devia reagir’. Mas acho que qualquer pessoa reagiria quando apontam a arma para seu filho. Você vai entrar na frente”, disse a vítima ao G1.

Após luta corporal e agressões, o homem fugiu levando a carteira da vítima. Na fuga, ele jogou o simulacro de pistola na casa de um vizinho. Cerca de 15 minutos depois, o criminoso voltou para a rua do imóvel da vítima, que o identificou. Em seguida, a estudante, seu irmão e alguns vizinhos perseguiram o suspeito e o agrediram com tapas, socos e chutes.

“A gente pegou ele e falou que não iria fugir. Ele me pediu desculpas e falou que tinha três filhos. Eu falei que se ele tinha três filhos, ele iria apanhar para ver o que é a dor de uma mãe quando uma pessoa aponta uma arma para seu filho”, contou a estudante. Ela reclama que a Polícia Militar demorou mais de uma hora para chegar no local da ocorrência.

Surpresa com a própria reação, a vítima conta que talvez tivesse agido diferente se o seu filho não estivesse na mira de uma arma. “Se eu não fosse mãe, se não tivesse mexido com meu filho, talvez eu tivesse dado meu carro”, disse.

A mãe conta que o menino ficou assustado após o ocorrido e ainda reclama da falta de segurança no local, já que em um ano o imóvel foi invadido duas vezes.

O suspeito ficou ferido e foi levado ao Hospital Municipal de Emergências Albert Sabin, também em São Caetano do Sul. A polícia apreendeu a arma de brinquedo e entregou a carteira da vítima.

 

veja também