MENU

No interior de SP, vítimas do acidente com estudantes são enterradas

Cerimônia foi acompanhada por centenas de pessoas. Choque entre ônibus e carreta deixou 11 mortos e 24 feridos.

fonte: Globo.com

Atualizado: Quarta-feira, 29 Outubro de 2014 as 11:16

Um clima de profunda tristeza e consternação marcou o enterro de 10 vítimas do acidente com um ônibus de estudantes de Borborema (SP). Os corpos foram enterrados na manhã desta quarta-feira (29), no cemitério municipal, após serem velados em uma cerimônia coletiva no Ginásio de Esportes que teve a presença de mais de três mil pessoas.

O acidente entre a carreta e o ônibus que transportava estudantes e professores da Escola Estadual Dom Gastão Liberal Pinto deixou 11 mortos. O corpo da professora Roseneide Aparecida Casetta Montera foi enterrado em Itápolis, onde a família mora, na noite de terça-feira (28).

A colisão deixou ainda 24 feridos, dos quais oito permanecem internados – três em estado grave. Os estudantes Gustavo Alves da Silva Teixeira e Isabela Lourenço Alves tiveram alta na manhã desta quarta.

Os corpos foram levados de dois em dois para o cemitério de Borborema, em um cortejo acompanhado por centenas de pessoas. O sepultamento das professoras Margarete Aparecida Lucas dos Santos, de 44 anos, e Márcia Martins de Carvalho Biassoto, de 39, abriu a cerimônia, sob oração e muitos aplausos.

Antonio Félix, morador da cidade e parente de uma das vítimas, era o responsável por puxar o coro com canções que falam sobre amizade. "As músicas são para tentar diminuir a dor. É o mínimo que a gente pode fazer no meio de tanto sofrimento de ver tantas pessoas conhecidas que perderam suas vidas", diz o morador.

Assim como Félix, as famílias que acompanhavam o sepultamento dos parentes fizeram questão de seguir o cortejo para enterrar as outras vítimas, em uma cerimônia repleta de tristeza.

"É inexplicável. Toda a técnica some numa hora dessas. O que a gente pode fazer é apoiar. Essa sem dúvida é a maior tragédia da cidade, nunca esperei ver algo parecido por aqui", diz o bombeiro Marcos Paula, que tentava consolar as vítimas.

Borborema tem cerca de 15 mil habitantes. Por conta do acidente, a prefeitura decretou luto oficial de três dias. "É uma cidade pequena onde conhecemos todo mundo. Nunca pensei que pudesse atuar como bombeiros para eles", afirma.

Várias pessoas passaram mal durante o velório e o sepultamento, e precisaram ser socorridas por equipes dos bombeiros.

'Meu anjo'
O ônibus com os estudantes e professores voltava de uma excursão em São Paulo quando se envolveu no acidente com uma carreta na altura do quilômetro 370 da Rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304).

A estudante Maysa Rosa, de 18 anos, perdeu o namorado Thayro Matheus da Silva Polimeno, de 17.

Ela conta que o jovem estava feliz com o passeio. "Ele estava muito animado. Todas as fotos que eu vi eram de alegria, e é isso que eu vou levar dele. Ele era meu anjo, não quero tirar a minha aliança por nada", diz a jovem, às lágrimas, diante do caixão com o corpo do namorado.

Investigação
O boletim de ocorrência do acidente foi registrado na Polícia Civil de Ibitingae o delegado Carlos Alberto Ocon de Oliveira deverá conduzir o inquérito.

De acordo com o investigador que acompanha o caso, todos os sobreviventes devem ser ouvidos nos próximos dias, assim como os policiais rodoviários que atenderam a ocorrência.

Ainda não há informações sobre qual motorista teria invadido a pista contrária, mas testemunhas já disseram à polícia que teria sido o condutor do caminhão. As causas ainda serão investigadas.
 
A perícia técnica já esteve no local do acidente e o laudo criminalístico está sendo elaborado pelo Instituto de Criminalística de Araraquara.

Segundo informações do órgão, o prazo é de 30 dias para a apresentação do laudo, mas pode ser prorrogado devido à complexidade do acidente.

Além do ônibus atingido pela carreta, onde estavam 43 passageiros e o motorista, outros dois veículos também levavam estudantes e professores e chegaram em Borborema por volta das 23 horas. O grupo que participou da excursão era formado por 110 pessoas.

Feridos
Além das 11 mortes, outras 24 pessoas ficaram feridas no acidente. Nove delas permanecem internadas em hospitais da região e uma recebeu alta. Veja a lista:

Leonardo Lucas dos Santos: está na UTI do Hospital de Base de Bauru e não foi divulgado o estado de saúde.
Larissa Botaccini: stá na UTI do Hospital de Base de Bauru e não foi divulgado o estado de saúde.
Letícia da Silva Pinto: estado estável na UTI da Santa Casa de Ibitinga, não corre risco de morrer.
- Gustavo Alves da Silva Teixeira: recebeu alta.
- Caroleine da Silva: está bem e foi transferida para a enfermaria da Santa Casa de Ibitinga.
- Emily Carolina dos Santos: está bem e foi transferida para a enfermaria da Santa Casa de Ibitinga.
- Isabela Lourenço Alves: recebeu alta na manhã desta quarta-feira.
- Bianca Almeida Alves: está bem e foi transferida para a enfermaria da Santa Casa de Ibitinga.
- Isabela Caroline da Silva Toledo: está bem e foi transferida para a enfermaria da Santa Casa de Ibitinga.
- Leandro Sanches Basalea (motorista do caminhão): está em estado estável e foi transferido para o hospital em Novo Horizonte, onde aguarda vaga em unidade especializada de queimados em Catanduva.



veja também