MENU

No Paraná, mais de 50 mil pessoas são afetadas pela chuva e mortes chegam a 9

No Paraná, mais de 50 mil pessoas são afetadas pela chuva e mortes chegam a 9

fonte: Globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 9 Junho de 2014 as 8:46

Chuva causou prejuízos, principalmente, na região central do estadoO número de mortos por causa da chuva em todo o Paraná chegou a nove, segundo o último balanço da Defesa Civil Estadual, divulgado às 21h deste domingo (8). Anteriormente, a Defesa Civil havia anunciado dez mortes, porém, o número foi corrigido na última atualização. A quantidade de pessoas afetadas aumentou de 48.208 para 51.418. Ao todo, 74 municípios sofrem com as consequências das chuvas. Conforme o levantamento, os prejuízos foram causados por alagamentos, deslizamentos, inundações e destelhamentos, além de falta de energia elétrica e de água. Foram duas mortes em Medianeira, uma em Sulina, uma em Laranjeiras do Sul, duas em Guarapuava, uma em Campina do Simão, uma em Guaraniaçu e uma em Quedas do Iguaçu.

A chuva atinge o estado desde sábado (7) e também causa interdições em várias rodovias estaduais e federais. Do total de afetados, 3.650 ficaram desalojados. Desses, 2.136 não conseguiram retornar para casa e estão em abrigos improvisados. Mais de cinco mil residências foram danificadas.
O governador Beto Richa determinou ainda neste domingo a liberação antecipada de mais de R$ 6 milhões dos recursos do VigiaSUS para 70 municípios que foram afetados pelas chuvas. Com esse dinheiro, segundo a assessoria de imprensa do governo do estado, os municípios poderão, entre outros, pagar horas extras de servidores para atuação no atendimento às pessoas desabrigadas, na compra de suprimentos, aquisição de maquinários. Para Curitiba, o repasse chega a R$ 800 mil.

Estado de Emergência
Os municípios de Rosário do Ivaí, na região norte do estado, e Guarapuava, na região central, decretaram estado de emergência. Em Guarapuava, está o cenário mais critico. De acordo com a Defesa Civil, 794 pessoas foram afetadas, 500 estão desalojada e 234 estão desabrigadas. Duas pessoas morreram. Além disso, um rio invadiu o reservatório da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e deixou toda a cidade sem água. De acordo com a Companhia, a normalização do serviço pode demorar até dois dias. A prefeitura também informou que não haverá aulas nas escolas municipais na segunda-feira (9).
Curitiba foi o município mais atingido com 15.213 pessoas afetadas e está em alerta desde sábado (7).

Rodovias estaduais interditadas
A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) informou que ao menos cinco trechos de rodovias estaduais estão totalmente interditados desde a madrugada deste domingo no Paraná. O caso mais grave é o da PR-170, entre Guarapuava e Pinhão, na região central, onde o Rio Pinhão transbordou e parte do asfalto próximo à ponte cedeu. A orientação é para que os motoristas desviem por União da Vitória.
No norte, o trecho da PR-487, entre Manoel Ribas e Nova Tebas foi interditado depois de parte da pista afundar. Na mesma região, a PR-554, que liga São Jorge do Ivaí à PR-323, também está interditada na ponte do Rio Andirá. Outro trecho interditado é o da PR-323, no km 190, próximo ao município de Doutor Camargo, no noroeste do estado, onde o Rio Ivaí transbordou. Já no sudeste, na PR-151, entre Palmeira e São Mateus do Sul, a chuva levou parte da pista no km 439, próximo a São João do Triunfo.
PRE interditou parcialmente o trecho da PR-479, entre Tuneiras do Oeste e Moreira Sales, por causa da queda de um barranco sobre a pista. A recomendação da polícia é que os motoristas redobrem a atenção.

Interdições nas estradas federais
A BR-277 está interditada nos dois sentidos, entre Guarapuava, Prudentópolis e Irati. No km 242, em Irati, e na Serra da Esperança, no km 306, tem queda de barreira. Já a altura do km km 315, em direção há Guarapuava, há fissuras na pista e degrau.
A pista cedeu e há um buraco que impede a passagem de veículos no km 316. Na BR-153, no km 329, entre Irati e Imbituva, a ponte caiu e não há como passar devido a uma cratera de 6 metros. Segundo a PRF, não há previsão de quando o trânsito deve voltar ao normal.

Doações
A Defesa Civil começou uma campanha para arrecadar donativos aos desabrigados da chuva a partir deste domingo. As doações podem ser entregues em qualquer posto da Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros. Há necessidade de colchões, cobertores, roupas de cama, fraldas, água, materiais de higiene e limpeza, roupas e cestas básicas.

Mais chuva
A chuva deve continuar com grande intensidade na capital e região metropolitana até a tarde de segunda-feira (9), segundo a Somar Meteorologia. No interior, o tempo começa a abrir logo no início da tarde deste domingo.

veja também