MENU

No Rio de Janeiro, a Avenida Brasil concentra 55% dos acidentes nas vias mais perigosas

No Rio de Janeiro, a Avenida Brasil concentra 55% dos acidentes nas vias mais perigosas

fonte: Globo.com

Atualizado: Sexta-feira, 25 Abril de 2014 as 8:13

av brasilEntre as dez vias com o maior número de acidentes de trânsito na cidade do Rio de Janeiro, a Avenida Brasil concentrou 55,2% das ocorrências registradas neste ano, segundo dados do Corpo de Bombeiros. Líder em números absolutos (ou seja, considerando todos de 2014), a via também tem a maior quantidade de colisões por fluxo diário de veículos: uma a cada 200 mil carros percorrendo o local diariamente, aproximadamente.


Até o dia 15 de abril, ocorreram 1.269 acidentes nas dez vias, causando a morte de 17 pessoas.


Do total, 700 ocorrências ocorreram na Avenida Brasil. Foram 430 colisões, 81 capotagens, 118 quedas de moto e 71 atropelamentos na via, segundo os bombeiros.
Professor de engenharia de transportes da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), José Eugênio Leal credita os acidentes a uma mistura de imprudência e má sinalização.
"A Avenida Brasil tem um fluxo de tráfego muito grande e é uma via mal sinalizada em alguns trechos, inclusive com faixas de separação que não são nítidas. Sem contar a atitude muito agressiva de motoristas. É difícil trafegar lá sem ser cortado por alguém e há muitos buracos também", afirmou.


Nos acidentes, 14 pessoas morreram, sendo que quase a metade (6) foi atropelada. Outras quatro morreram em colisões; três, em quedas de moto; e uma, em uma capotagem.
Com 700 acidentes em pouco mais de 100 dias, a Avenida Brasil também tem o maior número de colisões se considerado o fluxo de veículo diário. Neste ranking, a via lidera com uma média de um acidente a cada 197.266 veículos que percorrem o local diariamente.Em segundo, está a Avenida das Américas com 1 acidente a cada 200 mil. O cálculo foi feito de acordo com estatísticas de volume de tráfego da CET-Rio de 2013.


Vice-líder da lista também em números absolutos, a Avenida das Américas tem 120 registros de acidente somente em 2014 (com 9,5% do total). Foram 84 colisões, oito capotagens, 20 quedas de moto e oito atropelamentos, sendo que ninguém morreu.


A Avenida das Américas é seguida por Avenida Presidente Vargas (110), Avenida Ayrton Senna (90), Avenida Dom Hélder Câmara (68), Linha Vermelha (61), Avenida Lúcio Costa (60), Avenida Cesário de Melo (33), Avenida Infante Dom Henrique (14) e Avenida Armando Lombardi (13).
Entre os tipos de acidente, mais da metade (58,9%) foi de colisões. O segundo tipo mais comum foi de quedas de moto (17,2%), seguido por atropelamentos (14,7%) e capotagens (9,2%).


Ano passado
A lista das dez vias mais perigosas desse ano é semelhante à registrada em 2013, segundo os bombeiros.
A proporção de acidentes por local também é parecida. Dos 3.675 acidentes em 2013, 2.034 (55,3%) foram na Avenida Brasil. Ela é seguida por Avenida das Américas (354), Avenida Presidente Vargas (338), Avenida Dom Hélder Câmara (236), Avenida Ayrton Senna (214), Linha Vermelha (171), Avenida Lúcio Costa (124), Avenida Infante Dom Henrique (49) e Avenida Armando Lombardi (35).


No total, foram 2.132 colisões, 311 capotagens, 595 quedas de moto, 614 atropelamentos e 23 quedas de veículos. Os acidentes deixaram 68 mortos, sendo que 33 foram na Avenida Brasil.
Até o dia 15 de abril, 2014 já registrou 34,5% dos acidentes ocorridos no ano passado nas dez vias mais perigosas. A via com a menor proporção de ocorrências registradas em relação a 2013 é a Cesário de Melo (27,5%), e a maior, a Lúcio Costa (48,4%).

veja também