MENU

Padrasto preso fez menina comer cebola dizendo que era maçã

Empresário de Araçatuba (SP) foi preso após denúncia; mãe negou tortura. Segundo a polícia, ele tinha material pornográfico da menina no celular.

fonte: Globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 29 Setembro de 2014 as 3:28

Um novo vídeo divulgado nesta segunda-feira (29) mostra o empresário suspeito de torturar psicologicamente a enteada em Araçatuba (SP) dando uma cebola em vez de maçã para a criança de dois anos comer. O vídeo tem sido compartilhado nas redes sociais e a suspeita da polícia é de que o próprio empresário tenha enviado-o a grupos por meio de mensagens instantâneas de celular.

O empresário Maurício Moraes Scaranello, de 35 anos, foi preso na noite de sexta-feira (26), após uma denúncia anônima. Com um mandado de busca, os policiais foram até a casa do empresário, em um condomínio de luxo da cidade. Segundo a Polícia Civil, a menina foi encontrada sozinha, trancada em um quarto do imóvel. Scaranello foi transferido no sábado (27) para a cadeia de Penápolis (SP), onde cumpre prisão temporária.

Na gravação é possível ver a menina sentada à mesa, com uma cebola nas mãos. O próprio Scaranello é quem filma a enteada e a incentiva a comer a cebola, que ele diz ser maçã:

– Come maçã pra mostrar pra mamãe. Mordeu? Morde forte.

A criança morde e faz um som de desagrado, seguido pela risada do padrasto, que continua insistindo para que ela coma mais:

– Gostosa a maçã? Morde pra mostrar pra mamãe. Morde. É ruim? Você não gostou? É cebola. Dá mais uma mordidinha. Só mais uma, pra mostrar pra mamãe, a gente mostra o vídeo. Então dá mais uma mordida. Só mais uma, aí a gente mostra o vídeo aqui. Dá mais uma mordida. Só mais uma mordidinha.

A menina empurra a cebola para perto do padastro, que a pega e reclama:

– Não, você nem mordeu direito, mordeu só um pedacinho. Só mais uma mordida, aí a gente mostra o vídeo.

Em depoimento, o empresário negou as suspeitas de tortura e, para a polícia, disse que era apenas uma brincadeira. “Ele disse que fez os vídeos por achar engraçado, então resolveu gravar”, afirma o delegado Getúlio Nardo.

Em outro vídeo, que estava no celular do empresário, a criança aparece com bastante sono, mas Scaranello não a deixa dormir. Em outro momento, ele assusta a menina que está quase dormindo sentada. A enteada fala para o padrasto que está com sono e que quer dormir, mas o empresário a mantém sentada na cama.

Além da tortura, foram encontradas no celular do empresário fotos da enteada nua. A menina foi levada ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames. Segundo a polícia, foram constatadas várias queimaduras, provavelmente provocadas por uma cola de alta aderência que o padrasto teria passado no corpo dela. Também havia resíduo químico nas partes genitais da criança. Em depoimento, o homem disse que foi um acidente, informou a polícia.

A mãe também foi ouvida e, de acordo com o delegado, algumas informações passadas por ela e pelo empresário são conflitantes.

Nos próximos dias, a tarefa da polícia será descobrir o que realmente aconteceu na casa da família. "Eles alegam que foi um acidente, mas as provas coletadas no local não levam a crer isso. Eles também divergiram bastante nos depoimentos sobre o fato, o que é estranho, porque se foi um acidente não precisa divergir em nada, é apenas contar o que aconteceu”, diz o delegado. Durante o depoimento a mãe disse que desconhecia a existência das fotos e também dos vídeos. Ela chegou a se mostrar surpresa, mas reafirmou que tudo não passou de um mal entendido.

O advogado do empresário disse que vai entrar com pedido de liberdade provisória e "relaxamento" da prisão em flagrante.

 

veja também