MENU

Para fugir de enchente, homem fica dois dias em cima de árvore até ser resgatado

Para fugir de enchente, homem fica dois dias em cima de árvore até ser resgatado

fonte: Globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 12 Junho de 2014 as 8:43

Mesmo passando dois dias em cima de uma árvore, homem estava bemUm homem de 52 anos foi resgatado depois de passar dois dias em cima de uma árvore para se salvar da enchente do Rio Piquiri, em Francisco Alves, no oeste do Paraná. De acordo com a Defesa Civil, Josias Camilo da Graça foi encontrado com um pouco de comida, água e roupas de frio na terça-feira (10). Ele foi encaminhado para casa, e recusou atendimento hospitalar.

Josias estava em uma casa na ilha Tapejara, em Francisco Alves, desde sábado (7). No domingo (8), ao acordar, ele percebeu que o nível do rio tinha subido e não havia mais como sair da ilha com o barco a remo. Segundo a Defesa Civil, para tentar se proteger da água, ele construiu uma espécie de estaleiro para ficar acima do nível do rio. Porém, na segunda-feira (9), as águas continuaram subindo e o homem foi obrigado a subir em uma árvore.

“Ele procurou a árvore mais alta e segura. Levou água para beber, roupas de frio e um pouco de comida. Para não cair durante a noite, ele se amarrou aos galhos com uma corda”, contou Joacir Perez, coordenador da Defesa Civil de Palotina, que ajudou no resgate.

As buscas começaram na terça-feira. Um morador de Francisco Alves desconfiou que Josias estivesse preso na ilha e pediu ajuda da Defesa Civil para procurá-lo. A ilha onde o homem estava ficou totalmente encoberta pelas águas do rio.

Chuvas no Paraná

O estado do Paraná foi atingido por fortes chuvas entre sábado (7) e domingo (8). Conforme o último boletim divulgado pela Defesa Civil, às 18h desta quarta-feira (11), 564.974 pessoas sofreram com algum problema em decorrência da chuva. Em todo o estado, são 4.824 desabrigados, sendo que 4.193 estão em abrigos públicos. A cidade com o maior número de pessoas atingidas é Cascavel, no oeste do estado, onde 150.050 ainda sofrem com racionamento de água. Há duas pessoas desaparecidas, conforme a Defesa Civil, sendo uma em Rebouças e outra em São João do Ivaí. O número de desaparecidos chegou a seis, entretanto, três foram encontrados com vida. Onze pessoas morreram. Além dos 130 municípios que foram decretados em estado de emergência pelo governo estadual, Lunardelli também passou a integrar a lista a partir de um decreto do prefeito.

Os prejuízos materiais causados pela chuva já ultrapassam os R$ 600 milhões. De acordo com a estimativa da Defesa Civil, o valor pode alcançar a casa do R$ 1 bilhão. Nesta quarta-feira, o Ministério da Integração Nacional autorizou a transferência de mais R$ 206.450,00 para o Paraná, que devem ser utilizados em ações de socorro, assistência às vítimas e restabelecimento de serviços essenciais para as milhares de pessoas atingidas pela chuva. Na terça-feira, o governo federal já havia liberado R$ 140,38 mil. Esses valores, de acordo com a Defesa Civil, referem-se à ajuda humanitária.

veja também