MENU

Polícia faz operação contra lavagem de dinheiro em quatro estados

Ação é realizada desde a madrugada desta quinta (5) no PR, SC, SP e RS. Serão cumpridos 134 mandados; esquema movimentou mais de R$ 600 mi.

fonte: globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 5 Março de 2015 as 8:21

Polícia federal
Polícia federal

A Polícia Federal (PF) realiza uma operação contra os crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas desde a madrugada desta quinta-feira (5) no Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul. Serão cumpridos sete mandados de prisão preventiva, 34 de prisão temporária, 25 mandados de condução coercitiva, quando o suspeito é levado para prestar depoimento, e 68 mandados de busca e apreensão. O esquema teria movimentado mais de R$ 600 milhões, de acordo com a PF.

Até as 7h50, a PF não tinha apresentado um balanço sobre as prisões. As prisões temporárias têm prazo de cinco dias e podem ser prorrogadas pelo mesmo período. Já as preventivas não têm prazo pré-definido.

Os municípios onde os mandados serão cumpridos são: Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Matelândia, Cascavel, Toledo, e Altônia, no Paraná; Joinville, em Santa Catarina; Soledade, no Rio Grande do Sul; e Ribeirão Preto e Monte Aprazível, em São Paulo. A ação foi batizada de "Bemol". Mais de 200 federais e 30 servidores da Receita Federal atuam no cumprimento dos mandados.

Conforme a PF, o grupo investigado utilizava contas bancárias de 87 empresas – a maioria delas fictícias – para receber valores de pessoas físicas e jurídicas interessadas em adquirir mercadorias, drogas e cigarros do Paraguai de diversos estados brasileiros.
A PF informou ainda que os investigados eram responsáveis por conferir a aparência lícita a recursos financeiros de origem criminosa e remeter o dinheiro ao Paraguai. Além dessas atividades, para atender às exigências de “doleiros” paraguaios, a organização criminosa também era responsável por transferir parte dos ativos ilícitos para contas bancárias brasileiras controladas por tais “doleiros”.

Bemol é referência à teoria musical
A ação foi batizada de Bemol por possuir o mesmo propósito da Operação Sustenido, deflagrada há menos de um ano pela PF em Foz do Iguaçu, que desarticulou organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro. A expressão Bemol é uma referência à teoria musical, visto que tanto o sustenido quanto o bemol representam uma nota intermediária entre duas outras notas musicais.

O papel das organizações criminosas dessas duas operações, segundo a PF, era fazer a ligação entre traficantes de droga, “cigarreiros” e empresários brasileiros, com os fornecedores de tais produtos residentes no Paraguai.

 

 

 

veja também