MENU

'Sequelas podem ser permanentes', diz irmão de vítima de cotovelada

Fernanda vai passar por novos exames no mês de dezembro. Audiência sobre agressão em São Roque (SP) será no dia 11 de novembro.

fonte: globo.com

Atualizado: Quarta-feira, 5 Novembro de 2014 as 8:26

Fernanda e o irmão em frente ao hospital nesta quarta-feira (5) (Foto: Jomar Bellini / G1)A auxiliar de produção Fernanda Regina Cézar Santiago, atingida com uma forte cotovelada na saída de uma festa na cidade de São Roque (SP), pode ficar com as sequelas da agressão permanentemente. "Essa é a avaliação feita pelos médicos que acompanham o quadro clínico dela", disse Eduardo Cézar, em entrevista ao G1. Nesta quarta-feira (5), Fernanda esteve no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), onde passou por atendimento com um psicólogo e pelo fisioterapeuta. A auxiliar de produção também fez exames com o neurologista.

Fernanda voltou a morar em sua casa no Jardim Villaça, em São Roque, onde passa a maior parte do tempo. “Eu tento voltar a rotina normal, brincando com as crianças e tentando cozinhar. Não importa o meu passado, o que eu já fiz e o fato de eu ter usado drogas. Hoje eu só quero ser feliz”, disse a auxiliar de produção. Ela conta também que tem vontade de voltar a sair e se divertir com amigos. “Dançar também é saúde. Quem sabe, com autorização do médico, eu possa beber um energético adequado.”

“Ela fala com dificuldade e têm tontura, problemas de memória e dor de cabeça frequentes. Os médicos foram bem taxativos: eles não sabem se ela vai se curar dessas sequelas”, disse o irmão. De acordo com Eduardo, um novo exame será realizado no dia 23 de dezembro. “O neurologista vai analisar um coágulo na cabeça dela para saber se será necessário realizar uma cirurgia. A próxima avaliação será realizada em seis meses."

 

Após passar quase um mês em uma clínica psiquiátrica para melhorar as condições neurológicas, a auxiliar de produção tentou estudar para ajudar na sua recuperação. Ela se matriculou no curso de Gestão de Qualidade, mas teve que abandonar os estudos. “Ela não conseguia assimilar corretamente a matéria por conta dos problemas de memória”, explica o irmão.

Audiência
A primeira audiência para tratar do caso está marcada para o dia 11 de novembro, em São Roque, quando será definido se o empresário Anderson Lúcio de Oliveira vai ou não a júri popular. “Eu acredito no bom senso do magistrado após a oitiva das acusações e defesa”, diz o advogado do acusado, Luiz Pires de Moraes Neto, ao afirmar que a defesa deve tentar desclassificar o crime de tentativa de homicídio para lesão corporal, considerado menos grave com menor pena.

Eduardo afirma que o advogado da vítima, Ademar Gomes, ainda não definiu se a auxiliar de produção irá acompanhar ou não a audiência. "Eu só espero que ele colha o que plantou e que seja condenado", diz Fernanda.

Oliveira está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aparecidinha, em Sorocaba (SP). O advogado entrou com o pedido de habeas corpus, mas recebeu duas negativas da Justiça.

Anderson Tingo Oliveira (Foto: Reprodução/TV Tem)
Anderson está preso desde 19 de agosto em
São Roque (Foto: Reprodução/TV Tem)

Para o relator Juvenal Duarte, que assina o documento indeferido no dia 6 de outubro, “tudo indica, ao menos em parte, de mera reiteração do habeas corpus [...] impetrado por Vinicius Bastos Santos [um dos antigos advogados do acusado], cujo pleito de liminar foi indeferido em plantão judiciário”. O primeiro pedido foi negado no dia 9 de setembro, enquanto o empresário cumpria a prisão temporária na cadeia de São Roque. Após a conclusão do inquérito, Oliveira teve a prisão convertida em preventiva.

No pedido de liberdade, o advogado alega que manter o empresário preso seria um "constrangimento ilegal" e que a acusação não possui fundamentos para mantê-lo na cadeia.

Já para o relator, existe a necessidade de se manter o empresário preso “em razão da extrema gravidade do caso concreto, marcado pela agressão covarde à ofendida, que somente não resultou em sua morte porque recebeu pronto atendimento médico”. Duarte negou também as alegações de constrangimento ilegal.

Entenda o caso
Fernanda sofreu traumatismo craniano após ser atingida com uma cotovelada pelo comerciante na frente de um clube na madrugada de 16 de agosto. Ela ficou 15 dias internada no Hospital Regional, em Sorocaba (SP), onde chegou a ficar em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Laudo da jovem agredida com uma cotovelada em São Roque (Foto: Reprodução/TV TEM)
Laudo da jovem agredida com uma cotovelada em
São Roque (Foto: Reprodução/TV TEM)

Após ter alta, no dia 2 de setembro, Fernanda foi para a casa de parentes, onde ficou por alguns dias. Em seguida, ela passou um mêsinternada em uma clínica psiquiátrica de São Roque, onde passou por tratamento neurológico.

Privão preventiva e pedido de desculpas
No dia 16 de setembro, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo decretou a prisão preventiva por tempo indeterminado do comerciante.

inquérito da investigação foi encerrado no dia 9 de setembro pela delegada da Delegacia da Mulher de São Roque, Priscila de Oliveira. Segundo Priscila, o documento foi entregue à Justiça no dia 8 de setembro. De acordo com Priscila de Oliveira, o inquérito instaurado por ela é de tentativa de homicídio qualificado, já que a vítima não teve chance de defesa.

Cotovelada em São Roque (Foto: Reprodução/TV TEM)
Anderson enviou carta com pedido de desculpas
para Fernanda (Foto: Reprodução/TV TEM)

Ainda na prisão, Anderson enviou com exclusividade ao G1 no dia 8 de setembro, por meio do advogado que acompanhava o caso, uma nota oficial informando que o comerciante está arrependido pela agressão. Na nota, ele "pede expressamente o mais sincero perdão pelo ato impensado” (veja abaixo a nota na íntegra)

Anderson reafirma, no documento, que tem intenção de pedir perdão pessoalmente à Fernanda e se diz “alegre e aliviado” por saber de sua alta médica e da ótima recuperação de seu estado de saúde.

Questionado sobre a nota, o advogado de defesa de Fernanda, afirmou ao G1 que a posição não surpreende devido à repercussão do caso. “Esta nota é um meio da defesa de comover a opinião pública já que a sociedade se revoltou com a agressão. Me surpreenderia se fosse diferente. Ele dizer que não teve intenção não reduz a perversidade do crime e demonstra o quanto ele está com medo de ficar preso”, ressaltou Ademar.

Durante entrevista coletiva realizada no dia 5 de setembro, na capital paulista, Fernanda disse que desculparia Anderson de Oliveira. “Se ele me pedisse perdão, eu perdoaria”, afirmou a jovem, que esteve no escritório do advogado acompanhada dele e do irmão Eduardo Cézar.

Confira, na íntegra, a nota enviada pelo advogado do Anderson:

"Eu, Anderson Lúcio de Oliveira, venho por meio desta nota oficial, em razão de me encontrar preso e incomunicável na carceragem da delegacia de polícia de São Roque –SP em razão da prisão temporária decretaria em meu desfavor no dia 19/08/2014, pedir e esclarecer o que segue:

1 – Peço expressamente a Fernanda Regina Cezar, o mais sincero perdão pelo ato impensado que cometi e reafirmo novamente que em momento algum tive qualquer intenção de atentar contra a sua vida. Esclareço também que na primeira oportunidade que tiver e se for de sua vontade, não hesitarei em lhe pedir perdão pessoalmente.

2 – Externo ainda através desta, o meu sentimento de alegria e alívio por saber de sua alta médica e da ótima recuperação de seu estado de saúde.

3- Concedo também a Fernanda, o perdão pelas palavras proferidas naquele dia contra a minha pessoa e a minha família.

4- Peço perdão também a minha amada mãe e a minha família e estendo este humilde pedido a todas as pessoas, principalmente as mulheres, que se sentiram ofendidas.
Reafirmo que estou completamente arrependido do ato impensado que cometi e jamais tive qualquer intenção de atentar contra a vida da vítima.

São Roque, 08 de setembro de 2014
Anderson Lúcio de Oliveira"

Discussão e cotovelada
As imagens da agressão, que ocorreu na madrugada do dia 16 de agosto, foram registradas por uma câmera de segurança de uma loja de motocicletas na Avenida Antonio Dias Bastos, no centro de São Roque.

Segundo o irmão da vítima, ela e Anderson são conhecidos e se encontraram ocasionalmente após uma festa realizada por uma casa noturna.

 

O vídeo, que foi solicitado pela própria família da vítima ao dono do comércio, mostra Fernanda discutindo primeiro com uma pessoa vestindo uma blusa branca. Depois, ela fala com Anderson, que está de terno e com uma lata de cerveja na mão.

Na sequência, o rapaz desfere uma cotovelada contra ela. Pessoas que estavam no local chamam o resgate, que chega pouco tempo depois. Anderson permanece no local, impassível.

Após a agressão, Fernanda foi levada para o Pronto-Socorro de São Roque e depois encaminhada para o Hospital Regional; ela saiu da UTI no dia 23 de agosto e permaneceu internada na enfermagem neurológica até o dia 1º de setembro.

Mulher estava na frente do clube quando foi agredida por cotovelada (Foto: Reprodução/TV TEM)
Fernanda estava na frente do clube quando foi agredida por cotovelada (Foto: Reprodução/TV TEM)
 
Jomar BelliniDo G1 Sorocaba e Jundiaí

veja também