MENU

Sistema Cantareira segue subindo e nível passa de 10,4% para 10,6%

Represas estão perto de recuperar 2º volume morto, mas situação é crítica. Sem chuvas, dois mananciais apresentaram queda no nível.

fonte: globo.com

Atualizado: Segunda-feira, 23 Fevereiro de 2015 as 10:15

reservatórios de São Paulo
reservatórios de São Paulo

O nível do sistema Cantareira subiu de 10,4% para 10,6%, de acordo com boletim divulgado pela Sabesp na manhã desta segunda-feira (2). Foi a 20ª alta de fevereiro e a 18ª consecutiva. Não choveu em nenhum dos seis sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo,  e dois deles apresentaram queda no nível.

O volume dos reservatórios, que abastecem 6,2 milhões de pessoas na Grande São Paulo, estava em 5% no começo do mês,  que já superou a média prevista de chuvas em 33,8%.

reservatórios de água

Segundo a Sabesp, quando o Cantareira atingir 10,7%, numericamente o sistema terá recuperado a segunda cota e entrará no primeiro volume morto, que vai até 18,5% do nível total. "Isto quer dizer que quando o sistema chegar 29,2% voltará ao volume útil (10,7% + 18,5%)", informou a Sabesp em nota.

Apesar do fevereiro chuvoso, o cenário permanece crítico. Embora o governador tenha dito nesta sexta-feira (20) que "não há nenhuma previsão de rodízio", os consumidores enfrentam a redução de pressão nas torneiras realizada pela Sabesp. O sistema também está tendo menos água retirada do que o de costume, medida tomada para evitar que entre em colapso.

Outros sistemas 
O Alto Tietê, o mais crítico depois do Cantareira, desacelerou o ritmo de alta e foi de 18,2% para18,3%. O sistema Rio Claro também subiu, de 35,3% para 35,4% e o Guarapiranga, na Zona Sul da Capital, ficou estável, em  57,5%. Os sistemas Alto Cotia e Rio Grande foram os únicos a cair.

Multa
A Sabesp começou a entregar neste mês contas de água com multa para quem excedeu a média do consumo. A sobretaxa na conta foi autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e a multa varia entre 40% e 100% para quem consumir mais água neste ano no comparativo entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014.

A multa foi de 40% para quem consumiu até 20% a mais do que a média do período anterior e a taxa foi de 100% para quem utilizou mais que 20%. A medida é válida somente na parte do gasto de água encanada, que representa metade do valor da conta. Os outros 50% são referentes ao serviço de coleta de esgoto.

veja também