MENU

Vereador pede que Alckmin e Haddad cancelem carnaval por crise hídrica

Parlamentar enviou ofício ao governador e ao prefeito nesta quinta. Natalini diz que chegada de turistas ameaça abastecimento.

fonte: globo.com

Atualizado: Quinta-feira, 22 Janeiro de 2015 as 8:52

Vereador pede que Alckmin e Haddad cancelem carnaval por crise hídrica
Vereador pede que Alckmin e Haddad cancelem carnaval por crise hídrica

 

O vereador Gilberto Natalini (PV-SP) pediu nesta quinta-feira (22) ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) e ao prefeito Fernando Haddad (PT) que cancelem o Carnaval 2015 na cidade de São Paulo por causa da falta d'água.

Ele alega que a festa ameaça o abastecimento de água na Região Metropolitana porque atrai milhares de turistas. Segundo a SPTuris, a cidade recebe em média 120 mil turistas no carnaval.

A programação de blocos de rua começa no fim de janeiro, e os desfiles no Anhembi ocorrem entre 13 e 15 de fevereiro.

O Sistema Cantareira, reservatório que abastece 6,2 milhões de pessoas na Grande São Paulo, opera com 5,4% da capacidade nesta quinta-feira. Outros sistemas que atendem a capital, como o Alto Tietê, também estão com níveis críticos por causa da falta de chuva desde o ano passado.

Cantareira tem nível de 5,4%. (Foto: Arte/G1)

Procurados pelo G1, o governo estadual, responsável pela gestão hídrica, e a Prefeitura, que organiza o carnaval, não tinham se manifestado até a mais recente atualização desta reportagem.

Segundo Natalini, que também preside a Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo, os grandes eventos realizados na capital devem ser repensados de imediato porque também estimulam o consumo de água e sobrecarregam os sistemas de abastecimento, que já estão comprometidos.

"A única solução imediata para a crise neste momento é a economia nas torneiras. São Paulo tem uma série de grandes eventos, e o que eu peço para a Prefeitura e para o governo do estado é que repensem essa agenda até que a situação seja resolvida. É uma situação que passou de preocupante para uma calamidade pública", disse o vereador.

A única solução imediata para a crise neste momento é a economia nas torneiras. (...) É uma situação que passou de preocupante para uma calamidade pública"
Gilberto Natalini, vereador pelo PV

Multa por desperdício
A Câmara de São Paulo deve votar, assim que retornar do recesso, o projeto de lei que prevê multa aos moradores que desperdiçam água.

Caso a proposta seja aprovada pelo Legislativo, será penalizado quem for flagrado lavando carro ou calçada com mangueira, por exemplo. O valor das multas e outros detalhes do projeto não foram divulgados.

O projeto de lei foi criado após uma recomendação do governador Geraldo Alckmin a todos os prefeitos para que fossem criadas leis municipais para impedir o consumo excessivo de água. “Nós estamos esperando a Câmara voltar [do recesso] para encaminhar a proposta do governo do estado", disse Haddad quando apresentou o projeto.

Em outra frente, a Sabesp foi autorizada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) a aplicar multa de 40% a 100% na conta de quem consumir mais água neste ano no comparativo entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014.

Represa reserva Jaguari-Jacareí, na cidade de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, neste domingo.  (Foto: Luís Moura/Estadão Conteúdo)
 
Represa reserva Jaguari-Jacareí em 18 de janeiro. (Foto: Luís Moura/Estadão Conteúdo)

veja também