Antes do lançamento do iPad mini, a Apple já tinha um tablet menor chamado iPhone

Antes do lançamento do iPad mini, a Apple já tinha um tablet menor chamado iPhone

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:10

 

Antes do lançamento do iPad mini, a Apple já tinha um tablet menor chamado iPhone. É o que diz o designer Donald Norman, ex-vice-presidente da Apple. Para ele, a diferença entre o iPhone e o iPad é o tamanho, pois ambos rodam o mesmo sistema operacional.
 
“Steve Jobs uma vez disse que não queria um iPad menor porque os dedos das pessoas são muito grandes. Essa foi a coisa mais estúpida que Jobs disse, pois a Apple sempre teve um iPad menor, que eles chamam de iPhone”, disse Norman, em entrevista ao G1.
 
Pela quarta vez no Brasil, Norman foi palestrante da Interaction South América 2012, que aconteceu em São Paulo entre os dias 1º e 3 de novembro. Norman também é autor do livro “O Design do Dia a dia”, publicado há 25 anos. Agora, ele está reescrevendo o livro para lançá-lo em agosto de 2013. “Os princípios ainda são verdadeiros, mas os exemplos são completamente diferentes. Quero ver as diferenças daqui 25 anos. Como os computadores vão parecer em 2038?”, disse.
 
iPad mini
Sobre o iPad mini, anunciado pela Apple em outubro, Norman acredita que a companhia está fazendo o que qualquer empresa de produtos de consumo faz. “Eles querem que você pense que está fora de moda, que você deve comprar a novidade. As empresas mudam o estilo de seus produtos a cada quatro ou cinco anos para você pensar: 'eu preciso comprar um novo'”, opina.
 
Porém, ele acha que o iPad mini é uma coisa boa. “Sempre foi estranho existir apenas um computador e um telefone para todo mundo. Eu gosto de dar como exemplo as facas de cozinha. Quantas facas você tem na sua cozinha? Eu devo ter dez porque cada uma eu uso para uma finalidade. É muito estranho pensar que uma única coisa faça tudo”, diz.
 
Trabalho na Apple
Norman foi vice-presidente de design da Apple durante a gestão de John Sculley. Ele ficou na empresa até 1998, quando Steve Jobs voltou para a Apple e o demitiu. “Ele mudou completamente a Apple e demitiu todos os vice-presidentes. De várias formas, ele estava certo”.
 
Segundo Norman, a Apple era uma empresa ótima de se trabalhar, com muitas pessoas brilhantes e criativas. Porém, seus dirigentes mudavam de ideia e nunca conseguiam vender um produto novo. “Steve Jobs trouxe disciplina e foco. E era isso que a Apple precisava. Com muita criatividade, você não consegue fazer com o que o trabalho seja feito”, opina.
Para ele, o estresse trazido por Jobs ajudou os funcionários a ficarem mais focados. “Muito estresse é ruim, mas muito entusiasmo também é ruim porque faz você mudar de ideia. Você precisa ter essa mistura”. Para Norman, Jobs era bom em ajudar as pessoas a criar boas ideias e exigir ótimas iniciativas. “Quando ele reconhecia uma boa ideia, ele era muito bom em manter o foco”.
 
Patentes
Sobre a briga de empresas de tecnologia por patentes, como a batalha entre a Apple e a Samsung, Norman diz: “é estúpida, infeliz e ridícula”. Quando ele estava na Apple, ele conta que seu principal trabalho na empresa era criar patentes. “A guerra por patentes é muito antiga. E eu acho que é um sistema muito ruim, os advogados de patentes não são muito bons, e as patentes de design são tolas. A Apple processou a Samsung porque ela usou bordas arredondadas. Eu acho que essa briga interrompe a inovação”, acrescentou.
 
Porém, ao mesmo tempo, Norman também apoia aqueles que dizem que essa “guerra” pode ajudar na criação de alternativas. “Se você olhar para o iPhone e para o Android, eles são muito similares porque não houve nenhuma originalidade do Google. Foi uma cópia. E olha o Windows Phone 8, da Microsoft. É brilhante e completamente diferente. Eles evitaram as batalhas por patentes ao criar algo completamente novo e, na minha opinião, melhor”, opina.
 
Norman, inclusive, elogia muito o novo sistema operacional da Microsoft, lançado no mercado no fim de outubro. “Até agora, a Apple usa sistemas operacionais diferentes para as telas pequenas e grandes. A Microsoft disse que isso deixa as pessoas confusas”. O Windows 8 permite usar a mesma plataforma em notebooks e dispositivos móveis, como os tablets. “Estou considerando trocar para o Windows Phone 8”, diz Norman, que hoje tem um iPad e um smartphone Android, da fabricante HTC.
 
Siga-nos

Mais do Guiame