Decepção. Orei pela pessoa errada

O problema é que agimos errado ao orar. Achamos que a oração prepara Deus para fazer aquilo que queremos, quando, na verdade, ela revela a vontade de Deus para que a sigamos

fonte: Eu Escolhi Esperar

Atualizado: Quinta-feira, 2 Outubro de 2014 as 11:41

oraçãoNa última sexta feira lançamos o podcast “Do Olhar ao Altar Responde” no itunes e no site podflix.com.br. Um canal de áudio onde reponderemos suas perguntas enviadas por e-mail.
Uma ouvinte nos enviou uma pergunta que pode ser a sua dúvida, e, por, isso decidimos compartilhar e responder aqui também:

“Orei por uma pessoa por meses sem ela saber, pedindo a bênção de Deus. Aí descobri que ele começou a se relacionar com uma outra pessoa. Estou decepcionada! A sensação é que perdi meu tempo. Como devo agir?”

Em primeiro lugar, você não deveria estar decepcionada(o), pois o princípio fundamental da oração é estabelecer a vontade de Deus enquanto buscamos uma resposta.

O próprio fato de essa pessoa iniciar um relacionamento com uma outra pode ser a resposta de Deus pra você. O problema é que agimos errado ao orar. Achamos que a oração prepara Deus para fazer aquilo que queremos, quando, na verdade, ela revela a vontade de Deus para que a sigamos.

“A oração levanta o tapete e mostra a sujeira.”

Quando chamamos Deus pra nossa vida sentimental, muitas vezes temos a falsa sensação de que a coisa está piorando, mas Deus está, na verdade, mostrando como as coisas realmente estão.
Em Gênesis, havia um caos. Deus disse haja luz, e, então começou a reorganizar, reestabelecer tudo. A oração joga uma luz em nossa vida e mostra o que não está pronto, o que precisa de um trabalhar profundo de Deus. Ela rende nosso coração para que Deus transforme nossa vida.

Entenda isso como uma resposta de que Deus não deseja que você se relacione com essa pessoa. Tranquilize-se! Hoje, a dor pode estar instalada e a sensação de perda de tempo dói. Mas lá na frente você verá que isso foi um grande livramente de Deus. Tempo de oração nunca é tempo perdido. Mesmo que fosse, é melhor “perder” uns dias ou meses orando, do que perder o coração entregando-o a quem não saberá cuidar bem dele.


- Leandro de Almeida

 

veja também