Não espere a maturidade chegar

Se você é adolescente, não espere tornar-se adulto para servir a Deus. Você vai desperdiçar muito tempo da sua vida aguardando por isso

fonte: Ultimato jovem

Atualizado: Quarta-feira, 28 Maio de 2014 as 4:34

jovensDavi foi um herói, disso ninguém tem dúvidas. O maior rei de Israel, homem segundo o coração de Deus, autor de grande parte do cancioneiro israelita, que até hoje é entoado e declamado por todos aqueles que seguem o cristianismo. Davi surgiu e marcou a história.

Davi começou sua jornada ainda jovem, ainda adolescente. Davi não esperou chegar a “maturidade”. Na verdade, Deus não esperou que Davi fosse adulto para servi-lo. O próprio Deus enviou seu servo Samuel para ungi-lo. O próprio Deus separou Davi enquanto ainda era adolescente para que este cumprisse a sua missão.

A primeira ação de Davi em favor do povo de Israel é bem conhecida, foi a grande (e curta) batalha entre ele e o gigante filisteu Golias. Algo memorável e que marcou a história da nação. Algumas coisas aconteceram nesse fato que nos ajudam a entender porque Deus optou por um adolescente para servi-lo e honrá-lo de forma tão preciosa, intensa, inesquecível, que se encontra registrada no livro de I Samuel 17.

1. Davi foi além da sua atribuição: a função de Davi era levar a marmita para seus irmãos e voltar com a notícia sobre a batalha para seu pai. Não ficou acomodado em sua função, mas agiu com o impulso de um adolescente ao envolver-se na batalha;

2. Davi foi curioso: Ao chegar ao campo de batalha, sua “curiosidade” o levou a descobertas importantes para seu envolvimento com a batalha. A curiosidade nem sempre é um defeito. Pode ser usada, também, como virtude, para descobertas que criem a oportunidade de defender e honrar o nome de Deus.

3. Davi lutou pela sua identidade: Davi tinha bem claro que sua identidade estava na autoridade e soberania de Deus, e que ninguém poderia afrontá-la. Por isso encarou com ousadia a afronta que o gigante estava fazendo não ao povo de Deus, mas ao próprio Deus;

4. Davi foi inovador: nunca alguém tinha enfrentado um inimigo mortal e cruel com um “estilingue”. Sua habilidade possibilitou que inovasse na “arte da guerra 1×1”. Se Davi fosse conservador, não teria pego o inimigo de surpresa e o derrotado tão rapidamente, sem chance de defesa;

5. Davi recebeu oportunidade e não descartou: o rei Saul poderia ter impedido Davi de lutar, mas arriscou seu trono, sua coroa ao permitir que ele o fizesse. Na verdade, Saul não tinha mais opções, e Davi aproveitou cada segundo para servir e mostrar seu compromisso com Deus, com a nação e com seu líder;

6. Davi não usou os recursos dos adultos: Até tentaram, mas Davi não aceitou vestir-se como um adulto para a luta. Usou seus próprios recursos. Uma armadura de adulto impediria que Davi colocasse em prática sua agilidade, velocidade, força e pontaria;

7. Davi bateu boca com o inimigo: Davi questionou, confrontou, não se intimidou diante do seu oponente. Peitou o inimigo, não por rebeldia, mas por ousadia e impulso em defender o nome de Deus. Peitou o inimigo porque ele não tinha dúvidas de que seria o vencedor, pois seu negócio era fazer a vontade daquele que o chamou, como Paulo instrui a Timóteo.

Davi tinha sim algo especial para ser encontrado na história como o grande rei e herói de Israel. Ele andava com Deus. Não era seu status social, sua idade, o tamanho da sua igreja, a marca do seu tênis ou seu currículo da escola dominical. Era o fato de que ele aprendeu a andar com Deus e tinha sua identidade no Senhor.

Se você é adolescente, não espere tornar-se adulto para servir a Deus. Você vai desperdiçar muito tempo da sua vida aguardando por isso. Se você é adulto, não impeça que os adolescentes sirvam a Deus. Pelo contrário, unja-os com ousadia e confiança, incentivando que eles façam a obra de Deus sem ter que se submeter aos estereótipos adultos.


• Rodolfo Gois

veja também