No meio do caminho tinha uma porta...

Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. Mateus 7.13-14

fonte: Não Morda a Maçã

Atualizado: Quinta-feira, 3 Abril de 2014 as 12:44

portaE aí, povo! Estão todos bem? Já fizeram o devocional e tiveram um momento de oração com Deus hoje? Espero que sim, já que manter comunhão com o Senhor é sinal de uma vida espiritual saudável.

Nossa geração é pontuada por pessoas que declaram a fé cristã e têm comportamento muito diferente do que é proposto na Bíblia. Aliás, tornou-se praticamente um clichê dizer que é cristão. Para exemplificar, no Facebook há diversas opções de religião para descrever que tipo de seguidor de Cristo a pessoa é: desde o não praticante até o ortodoxo. Isso ilustra bem uma juventude preocupada em ser aceita em determinados grupos sociais e que esquece de viver a vontade de Deus.

Jesus alertou que não seria fácil segui-Lo:

Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. Mateus 7.13-14

Vamos esmiuçar esta passagem. Você, jovem que decidiu seguir os passos de Cristo, está andando tranquilamente com uma mochila enorme nas costas. Dentro dessa bolsa, você fez questão de guardar todos os pecados e maus hábitos que praticava antes de conhecer a Jesus, achando que não faria mal carregá-los enquanto segue o Senhor.

Porém, na medida que a caminhada se estende, você percebe que a mochila cheia dificulta andar por certos pontos. Logo, para continuar o trajeto, é necessário jogar fora algumas “preciosidades” que você carregava como troféus: mentira, orgulho, ira, maledicência, lascívia, incredulidade, etc. (fique livre para completar a lista).

Um pouco mais adiante, aparece uma portinha baixa e estreita chamada “Salvação”. Pela altura que ela tem, a forma para atravessá-la é rastejando como um soldado na trincheira. Você olha bem. Calcula se é possível passar por aquele lugar sem perder nada. A resposta é clara: “-Preciso me livrar da mochila!”. Daí você, livre de tudo aquilo que impedia de continuar o caminho de Cristo, chega ao outro lado da porta, e encontra-se com Ele próprio!

Em resumo, é isso. O problema é que muita gente acha que pode continuar com a mochila nas costas para atravessar a porta estreita. Se desejamos o caráter de verdadeiros discípulos de Jesus, precisamos abrir mão de tudo aquilo que não faz parte da pessoa dEle.

Lembre-se que a vida que vale a pena é a que segue a Cristo; e morrer para este mundo é lucro (Filipenses 1.21).


- Diego Cesar

veja também