O Deus que chama, ama e guarda

Na saudação de sua epístola, apesar de não sabermos muitas informações de seus leitores, Judas dá três descrições notáveis daquilo que significa ser um cristão

fonte: Não Morda a Maçã

Atualizado: Segunda-feira, 8 Setembro de 2014 as 2:04

adoração“Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos chamados, amados em Deus Pai e guardados em Jesus Cristo, a misericórdia, a paz e o amor vos sejam multiplicados.” (Jd 1-2)

A carta de Judas foi escrita por volta de 70 e 80 d.C por Judas irmão de Tiago e de Jesus (1.1), com o propósito de advertir e exortar a igreja contra falsos cristãos, crentes só de nome, mestres enganadores, pessoas ímpias e imorais, que estavam colocando-a em risco. Judas diz que teve necessidade de escrever essas coisas; era algo urgente.

Na saudação de sua epístola, apesar de não sabermos muitas informações de seus leitores, Judas dá três descrições notáveis daquilo que significa ser um cristão. Vamos analisar essas descrições e aplica-las para nós cristãos de hoje.

- Chamados – a palavra grega aqui é “κλητος kletos”, que significa “chamados, convocados, selecionados e designados divinamente”. Essa é uma das grandes descrições bíblicas dos crentes. Deus é o autor do chamamento cristão e isso originou-se nos propósitos secretos do próprio Deus (Rm 8.28). Fomos chamados por Deus para ser e viver como povo de Deus, eleitos pela misericórdia e graça, e para anunciar suas maravilhas (1Pe 2.9). Se fomos chamados por Deus, então devemos viver uma vida de gratidão, humildade e serviço a Ele, testemunhando a todos Sua obra em nós.
Tenho eu vivido de maneira digna do meu chamamento?

- Amados em Deus – O Deus que chamou, fez isso porque amou. Ele amou o seu povo e continua amando. E Ele amou tanto que enviou Seu Filho para nos salvar, livrar da condenação e dar a vida eterna (Jo 3.16). Somos amados de Deus, nosso Papai, que não se importou com quem nós éramos e nem com aquilo que fizemos, mas nos amou e amou até o fim. Que descrição maravilhosa do cristão, descrição que se torna uma convicção inabalável: somos seus filhos amados! Essa é nossa nova identidade (Mt 3.17). Devemos nos agarrar e firmar nessa verdade para que nem o mundo, nem o diabo, nem eu mesmo e nem ninguém tente me definir diferente ou dizer o contrário.
Tenho eu vivido de maneira digna da minha nova identidade?

- Guardados em Jesus ­– a palavra grega aqui vem do verbo “τηρεω tereo”, que quer dizer “guardar, manter, conservar, preservar”. Judas se refere à preservação contínua com que Jesus guarda os que confiam nele. Se Deus não nos conservar, apodrecemos; se Ele não nos mantiver, nos perdemos. Somos guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação que está preparada para se revelar (1Pe 2.18). Somos conservados como um povo para a possessão do próprio Deus. A parte de Deus é guardar o homem; mas a parte do homem é guardar-se em Deus. Esses são os dois lados da perseverança cristã. “… eu vos amei; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como também eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e no seu amor permaneço” (Jo 15.9-10).
Tenho eu me guardado em Deus?

A obra de Deus em nossa vida é simplesmente fantástica e magnífica.
Àquele que nos chama, ama e guarda, toda a glória para sempre!

SOLI DEO GLORIA!


- Luiz Guilherme Roselli

veja também