Vai um salzinho aí?

Jesus nos ensina que somos sal (Mateus 5.13). Devemos levar um diferencial positivo às pessoas que nos rodeiam

fonte: Não Morda a Maçã

Atualizado: Sexta-feira, 6 Junho de 2014 as 1:23

salFala, galerinha! Tudo joia? Quero conversar com vocês sobre o domínio próprio. Sim, aquele “gomo” do fruto do Espírito que a gente esquece de trabalhar de vez em quando (dependendo da pessoa, nunca foi trabalhado… hehehe).

A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um. Colossenses 4.6

Posso ouvir um amém? Não fique com o coração na mão. Eu sei que é bem difícil colocar em prática esse versículo, principalmente quando o dia é “daqueles”. Mas… está na Bíblia! Então, é algo para ser aprimorado em nosso caráter.

Lembre-se que ser cristão puxa a responsabilidade de vigiarmos muito mais nossas atitudes. Não basta ser recatado nas ações. É necessário saber dosar as reações (até quando um irmãozinho abençoado pisa no seu calo mais dolorido). Afinal, caso ajamos como uma pessoa que não considera o próximo e ofende aos outros, que tipo de crente seremos?

Jesus nos ensina que somos sal (Mateus 5.13). Devemos levar um diferencial positivo às pessoas que nos rodeiam. Num ambiente em que predominam palavras de maldição e deboche, você já pensou em semear um discurso de bênção e amor? Este é o caminho que precisamos tomar.

Não podemos esquecer-nos de controlar a ira. O proverbista afirma que com nossas palavras podemos conquistar paz ou ódio (Provérbios 15.1). É preferível dar passos que tenham como objetivo a solução de conflitos, nunca um caminho que agrave a situação.

Engolir as palavras parece ruim, mas não será pior que tentar administrar uma crise de egos. Ser cristão nos motiva a desenvolver um espírito humilde, como o de Cristo. E Ele não esbravejou contra aqueles que O fizeram mal. Pelo contrário, rogou ao Pai para que os perdoasse.

Nos casos que a melhor solução pareça ser explodir de raiva, respire bem fundo, conte até 10 e peça ao Senhor sabedoria e tranquilidade. Passado o primeiro momento, comece a orar por aquela questão. E tenha em mente que devemos abrir mão da ansiedade para confiar verdadeiramente em Deus (Filipenses 4.6-7).

Que as pessoas lembrem de você como uma pessoa que sabe superar as dificuldades com firmeza de coração e palavras brandas. Este é o proceder de um filho de Deus.


- Diego Cesar

 

veja também