MENU

Vídeo

Que Ele cresça e eu diminua

Pode parecer óbvio, mas todo cristão deve buscar ser parecido com Cristo.

Fonte: Guiame, com informações de Não Morda a MaçãAtualizado: terça-feira, 22 de dezembro de 2015 19:25

A canção tem uma letra simples, mas que remete ao comportamento que um verdadeiro cristão deve ter. Diego Cesar, do blog Não Morda a Maçã, mostra que nunca é óbvio demais lembrar que um cristão deve se parecer com Cristo.

Um exemplo disso foi João Batista, que entregou toda a sua vida ao Senhor. Em certa ocasião, ele foi quem declarou que convinha que Jesus crescesse e ele diminuísse (João 3:30) — e você deve se propor a fazer o mesmo. 

"Nunca permita que a soberba domine suas atitudes. Tudo conquistado até hoje é mérito do Senhor, através de Sua infinita misericórdia. Agir pela cartilha de Deus só para angariar bênçãos não é sensato. Você está lidando com o Criador de todas as coisas e não com o Papai Noel, que presenteia a criança que se comporta bem", diz Diego.

Segundo a Bíblia, João Batista se vestia com roupas feitas de pele de camelo e se alimentava com gafanhotos e mel (Marcos 1:6). Diego observa que isso era prova de que ele confiava completamente na provisão divina. 

"Ao invés de se queixar pela falta de recursos, aquele homem executava seu ministério com todo fervor, pois sabia que agradar a Deus era mais importante que ter conforto. Outro exemplo para nós copiarmos”, comenta Diego.

Mesmo não tendo realizado nenhum sinal, João é lembrado como um homem de grande fé. Ele tinha certeza que Jesus era o Messias e já reagia a essa verdade quando ainda estava no ventre de sua mãe (Lucas 1:44). O profeta não cansava de declarar a grandeza do Senhor (Marcos 1:7-8) e a necessidade que o povo tinha de se arrepender dos pecados para participar do Reino de Deus (Mateus 3:2).

“O cristão deve aprender a ter uma vida de exaltação a Deus por tudo que Ele é. João Batista foi assim. Era ser humano como qualquer um de nós. Isso joga no ralo muita desculpa que poderíamos dar para não fazer a vontade do Senhor. O profeta foi humilde e dependente de Deus porque estava imitando ninguém menos que o próprio Jesus que pregava”, afirma Diego.

Que nos dediquemos mais a ser parecidos com o Senhor. Não só no fim de ano, às vésperas de Natal. Mas todos os dias, até que Ele retorne.

Siga-nos

Mais do Guiame