Práticas religiosas edificam?

Práticas religiosas edificam?

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:32

Práticas religiosas edificam?

Quarta-feira de cinzas Quaresma Páscoa Semana Santa 1.Quarta-feira de Cinzas

Tradicionalmente, a quarta-feira de cinzas é o dia instruído para o início da Quaresma, é um dia em que muitos devotos ortodoxos da Igreja Católica Romana costumam aplicar cinzas na cabeça como sinal de penitencia.

2. Quaresma

A palavra quaresma vem do Latim, significa quadragésimo e é utilizada para designar o período de quarenta dias que antecedem a festa da Páscoa.

A duração da quaresma está baseada no símbolo do número quarenta na Bíblia.

40 anos de peregrinação do povo israelita no deserto. 40 dias passou Moisés no monte. 40 dias Jesus ficou em jejum no deserto até ser tentado pelo diabo. 40 horas passou Jesus de sua morte até a sua ressurreição. A Quaresma é um tempo litúrgico de conversão, em que a Igreja Católica e a Igreja Anglicana convidam seus fiéis para fazerem reflexões sobre sua vida com Deus, através de orações, jejum e até penitências.

3.Páscoa Judaica

A palavra Páscoa (hebraico-pecach) significa ?saltar sobre?, ?passar por cima?.

Esse nome surgiu em face de que o anjo da morte ou anjo destruidor passou por sobre as casas assinaladas com o sangue do cordeiro pascal, quando ele matou os primogênitos dos egípcios (Ex. 12:21).

A festa da Páscoa foi unida à festa agrícola dos pães asmos, tendo início no décimo - quarto dia (ao pôr-do-sol) do primeiro mês do ano (Nisã).

4.Símbolos da Páscoa Judaica

Maror - ervas amargas - simboliza o sofrimento dos judeus, escravos no Egito. Charosset - nozes, amêndoas, tâmaras e canela misturada e amassada com vinho - significa a argamassa que foi usada pelos judeus na construção das edificações de Faraó. Betsá - ovo cozido - simboliza os sacrifícios que eram oferecidos durante as festividades. Kaspás - salsão no vinagre - simboliza o hissopo com o qual os israelitas aspergiam o sangue do cordeiro antes da praga dos primogênitos. Zeroá - osso do cordeiro - o cordeiro pascal. Além desses símbolos que faziam parte da Páscoa, havia os pães asmos (sem fermento) o bolo Aficomar e quatro copos de vinhos que simbolizava quatro expressões de salvação mencionadas na Torá.

Antes das refeições, era lida uma literatura, o HAGGADAH, contendo lembranças do Êxodo, Salmos, orações e cânticos.

5.Páscoa Cristã

A Páscoa Cristã foi instituída no ano 325 d.C., no Concilio de Nicéia.

Originalmente, a Páscoa Cristã constava de uma única representação noturna, que relembrava tanto a morte quanto a ressurreição de Cristo.

A cerimônia incluía o acendimento de vela pascal, orações, leituras das Escrituras e a celebração da Eucaristia.

Ao longo dos séculos têm sido acrescentados, com apoio do comércio e da mídia, elementos que nada têm com a Páscoa, entre eles: ovos de chocolate, coelhinho da páscoa, ovos coloridos, colomba pascal etc.

6.Semana Santa

Inicia-se na semana anterior ao Domingo da Páscoa, sendo ela uma extensão da Páscoa desde o século IV d.C.

Os fiéis através de liturgias solenes e de práticas devocionais, comemoram a paixão, morte e a ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo.

Na quinta-feira santa: Celebram a última ceia com a cerimônia do lava-pés.

Durante a sexta-feira santa os fiéis são convocados para se abster de trabalho, dos lazares e de comer carne vermelha, entre outras coisas.

Entendemos que a Bíblia nos ensina meios mais eficazes do que essas práticas religiosas para reconhecermos o amor, a misericórdia e a grandeza do nosso Deus e o meio de alcançarmos a bênção do perdão e a nossa salvação.

Ao invés de cinzas sobre a cabeça, comparecemos diante do Senhor com o espírito quebrantado, coração compungido e contrito (Sl 51:17).

Não apenas durante 40 dias precisamos fazer reflexões, diante de Deus, sobre como está nossa vida, mas sempre. Oremos e jejuemos.

Paulo disse que devemos orar sem cessar. E nosso corpo não precisa ser flagelado, mas sim ser apresentado por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus que é nosso culto racional.

A Páscoa deve ser lembrada como um grande feito poderoso de nosso Deus em favor do povo de Israel que, durante 430 anos, foi escravo no Egito e, agora, o povo está liberto das mãos de Faraó.

Jesus, quando participava com seus discípulos da festa da Páscoa, instituiu a Ceia do Senhor, um mandamento que deve ser observado até que Jesus retorne.

O apóstolo São Paulo disse em I Co 5:7 que Jesus Cristo é o nosso cordeiro Pascoal.

Portanto, regozije-se, pois o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, foi imolado pelos nossos pecados. Mas no terceiro dia ressuscitou e tem as chaves da morte e do inferno (Ap 1:18). E está à direita do Pai, como nosso sumo-sacerdote, intercedendo por nós, para que possamos ser convencidos pelo Espírito Santo do pecado, da justiça e do Juízo de Deus.

Postado por: Claudia Moraes

Siga-nos

Mais do Guiame