9 dietas saudáveis e fáceis de serem seguidas

Para seguir um cardápio saudável, a Dra. Marilú Acosta indica 9 formas de dietas que podemos incorporar em nossa vida cotidiana.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 10 Agosto de 2016 as 9:22

Diante da tantas informações, muitas vezes, as pessoas acabam se perdendo no vasto mundo das dietas. (Foto: Reprodução)
Diante da tantas informações, muitas vezes, as pessoas acabam se perdendo no vasto mundo das dietas. (Foto: Reprodução)

Seja na internet ou na academia, em todo lugar é fácil encontrar inúmeras recomendações alimentares e fórmulas milagrosas para o emagrecimento. Diante da tantas informações, muitas vezes, as pessoas acabam se perdendo no vasto mundo das dietas.

Para seguir um cardápio saudável, a Dra. Marilú Acosta indica 9 formas de dietas que podemos incorporar em nossa vida cotidiana:

1. Dieta personalizada

Os organismos não são iguais: nem todos apresentam as mesmas necessidades de energia. Por isso, cada pessoa deve comer segundo suas próprias características. A dieta deve ser ainda mais específica quanto às combinações, quantidades e horários. O importante é sempre atender as necessidades de minerais, vitaminas e gorduras.

2. Dieta natural

Existem aqueles que buscam comer o mais natural possível, evitando conservantes e alimentos processados. O problema é que nas grandes cidades, a maioria dos alimentos está processada, portanto é uma dieta mais fácil de fazer quando se vive no campo ou se produzem os alimentos em casa.

3. Dieta com redução de proteínas animais

Deixar de comer proteínas animais é algo fácil de se fazer quando as proteínas vegetais são suficientes para conservar os músculos, tanto os que se notam como os que não — por exemplo, no coração e intestino.

4. Dieta com pouco sal

Embora esta prática ajude o organismo a não reter água, é importante não eliminar de vez o sal da dieta, já que o sódio é um mineral importante para muitos processos bioquímicos. Em alguns países o sal também contém iodo, que ajuda no funcionamento das glândulas tiroides, portanto devemos analisar se estamos ou não consumindo a quantidade suficiente.

5. Dieta baixa em açucares processados

O açúcar é vital para a boa saúde, mas os açucares processados não. É possível diminuir seu consumo (doces e produtos industrializados), dando lugar às frutas e ao mel.

6. Dieta baixa em carboidratos processados

Uma forma de aliviar o trato gastrointestinal é diminuindo o consumo de carboidratos processados, como as farinhas refinadas, os pães brancos e o arroz branco. É possível fazer uma substituição por pão integral, farinha de centeio, arroz integral, aveia e quinoa.

7. Dieta baixa em produtos lácteos

A lactose pode gerar certos problemas digestivos, ao ponto de não poder ser mais consumida. Para estas pessoas intolerantes existem os leites sem lactose, o queijo tofu, e outros alimentos que contribuem na ingestão de cálcio necessário como soja, laranja, sementes de gergelim, amêndoas ou canela.

8. Dieta alta em proteínas animais

Se o objetivo é aumentar a massa muscular, as dietas com altas quantidades de proteínas animais são ideais. É importante recordar que podemos mesclar as proteínas animais, e não consumir apenas um tipo de animal. As animais apresentam mais taxas de aminoácidos em relação aos vegetais, auxiliando no fortalecimento de músculos.

9. Dieta rica em frutas e verduras

Na variedade de frutas e verduras é possível encontrar proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e minerais. São alimentos completos. Para saber qual é a dieta mais indicada para sua condição, procure um especialista em nutrição.

veja também