Conheça o melhor cereal para cada idade

Conheça o melhor cereal para cada idade

Atualizado: Sexta-feira, 14 Fevereiro de 2014 as 10:22

Todos sabem que a primeira refeição do dia garante benefícios ao longo do dia. O tipo de alimento que consumimos no café da manhã, deve ser de acordo com a nosso idade, como os cereais. uma dica essencial é optar sempre pelas versões integrais e com pouco açúcar. Elas possuem vitaminas do complexo B, fundamentais para o metabolismo de lipídeos, proteínas e carboidratos, e vitamina E, que conta com ação antioxidante e assim combate os radicais livres. 

cereaisO ferro, substância que atua na síntese das células vermelhas do sangue, o fósforo, mineral que age no metabolismo auxiliando na ativação das vitaminas do complexo B, o zinco, importante para a ação de diversas enzimas, o magnésio, que contribui para a saúde dos ossos, e o selênio, nutriente bom para a memória, também estão presentes nos cereais. 
 
Além de possuir todos esses nutrientes,  os cereais integrais se destacam pelas boas quantidades de fibras alimentares. Elas são importantes para a saúde da pessoa de forma geral, proporciona saciedade e contribui para o controle do colesterol e dos níveis de açúcar no sangue. 
 
Ao escolher o cereal, é importante ficar atento a algumas questões. "Preste atenção na lista de ingredientes que compõe o produto, aquele item que aparecer em primeiro lugar, significa que estará em maior quantidade. Quanto mais natural o cereal for, melhor. Dê preferência para farinha de trigo integral, flocos de aveia, farelo de aveia e de trigo, mueslis e granolas saudáveis", orienta a nutricionista Keli Coutinho. 
 
Para pessoas alergicas ou com intolerância ao glúten, deve evitar cereais com trigo ou centeio. A aveia também não deve ser consumida, pois ela é contaminada pelo glúten quando é processada. Quem tem esses problemas alimentarem pode optar por flocos de milho, flocos de arroz e também incluir a chia e a linhaça. 
 
Conheça os cereais indicados para cada idade, sendo bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos.
 
Crianças até dois anos
 
Os cereais matinais geralmente são introduzidos na dieta do bebê quando eles completam um ano. Nesta fase, o pequeno já desmamou e começou a ingerir os alimentos da casa. "O ideal é um cereal simples, como o farelo de aveia ou o gérmen de trigo, por não terem açúcar ou aditivos químicos", explica a nutricionista Isabel Jereissati Santos, especializada em nutrição materno-infantil. 
 
Como o sistema imunológico da criança ainda está identificando os alimentos, é interessante que os cereais matinais não sejam misturas. Assim, caso haja uma alergia, é mais fácil identificar o causador do problema. 
 
Combine o cereal matinal do bebê com frutas, especialmente aquelas ricas em vitamina C, como o kiwi, laranja, acerola e goiaba. Este nutriente ajuda na absorção do ferro presente no cereal e que é essencial para a dieta das crianças.
 
Crianças até quatro anos
 
Após os quatro anos, a criança pode continuar ingerindo os cereais matinais que já comia e ainda acrescentar outros. É possível introduzir opções mais elaboradas como flocos de milho e também versões com um pouco de açúcar eventualmente. 
 
Além das frutas, o mel também pode passar a ser adicionado nos cereais. "Uma colher de chá de mel ao dia é benéfica e a própria fibra do cereal diminui a velocidade de absorção da glicose deste adoçante natural", explica o nutrólogo Roberto Navarro. O mel ainda irá proporcionar benefícios ao intestino, contribuindo para a manutenção da microbiota intestinal, possui ação antioxidante, diminuindo os radicais livres.  
 
Infância
 
Ao longo de toda a infância, desde o desmame, um nutriente que frequentemente faz falta no organismo dos pequenos é o ferro. Por isso, é interessante optar pelos cereais matinais enriquecidos com esta substância, que é essencial para a vida e atua principalmente na síntese das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. "Caso a pessoa já tenha uma carência de ferro, é interessante evitar consumir o cereal com leite. Pois, o cálcio prejudica a absorção do ferro. Essas pessoas não devem consumir ferro e cálcio na mesma refeição", orienta Navarro. 
 
Nesta fase as crianças podem ingerir granola, cuja mistura de cereais com frutas secas proporciona uma bom aporte nutricional, necessário para o desenvolvimento. O uso do açúcar ainda deve ser controlado. "Busque cereais em que o açúcar aparece no rótulo em terceiro, quarto ou ainda mais para baixo na lista de ingredientes, isto significará que ele possui pouco açúcar", orienta Jereissati. 
 
Adolescência
 
Nesta fase do desenvolvimento para a vida adulta, os adolescentes necessitam de uma boa quantidade de calorias em sua dieta. "Por isso, sugiro que o cereal matinal seja composto por granola e que chocolate amargo picado ou açaí, duas fontes de calorias interessantes para a saúde, sejam adicionados", diz Jereissati. 
 
A quantidade de fibras recomendadas também muda. "Dos 12 aos 18 anos a orientação é ingerir cerca de 20 gramas de fibras por dia", conta Navarro. Portanto, pode ser interessante aumentar o quanto é ingerido do cereal. 
 
Adultos
 
Quando alcança a vida adulta, a quantidade recomendada de fibras muda novamente. "A partir dos 18 anos o valor orientado é 25 gramas de fibras ao dia", afirma Navarro. Portanto, pode ser interessante consumir mais o cereal matinal ou outras fontes de fibras, como os alimentos integrais. 
 
Algumas necessidades nutricionais também se alteram na vida adulta. "É interessante que no café da manhã a pessoa ingira uma fonte de proteína a fim de manter a massa muscular, por isso consumir o cereal com o iogurte é uma boa alternativa", orienta Jereissati. Outras fontes interessantes de proteínas que podem ser combinadas com o alimento matinal são a quinoa, que ajuda no fortalecimento muscular e dos ossos e na prevenção de doenças cardiovasculares e hipertensão, e a aveia, que é importante para o controle do colesterol. 
 
Incluir a chia e a linhaça nos cereais também é bom, pois elas ajudam no emagrecimento, controlam o diabetes e os níveis de colesterol e protegem o coração. 
 
A orientação sobre os tipos de cereais que podem ser ingeridos, continua a mesma. Opte pelas versões com pouco açúcar e integrais. 
 
Adultos após os 40 anos
 
Nesta fase aumenta o risco de surgirem alguns problemas de saúde e o cereal certo pode ajudar a preveni-los. "Afinal, o alimento é fonte de fibras que além de contribuir para a saúde geral da pessoa, ainda ajuda no controle do colesterol, glicose e proporciona saciedade", explica Navarro. 
 
Mulheres que estão entrando ou já entraram na menopausa podem adicionar alguns alimentos interessantes para esta fase no cereal matinal. A soja ou farinha de soja são boas alternativas, pois o grão é rico em isoflavonas que ajudam a diminuir os sintomas da menopausa. A linhaça também é uma opção, pois possui a lignana, substância que assim como as isoflavonas é semelhante ao estrógeno e por isso compensa a menor produção deste hormônio que ocorre na menopausa. Continua importante ingerir os cereais com pouco açúcar e integrais. 
 
Idosos
 
Os idosos podem ter maior dificuldade de mastigar, portanto, é interessante optar por um cereal em pedaços menores. O alimento pode consumido com um shake ou uma vitamina também para facilitar o consumo. 
 
Caso queira adicionar leite no cereal, procure aqueles com redução de lactose ou a versões vegetais. "Boa parte dos idosos tem uma diminuição da mucosa intestinal e é lá que é produzida a lactase, enzima que ajuda a digerir a lactose", explica Navarro. É bom que os idosos evitem o excesso de fibras, pois isto pode fazer com que a absorção de cálcio e zinco diminuam.
 
 
 
Com informações de: Minha Vida

veja também