Dietas ‘detox’ realmente funcionam? Veja a opinião de especialistas

Alguns especialistas alegam que, muitas vezes, as dietas detox são perigosas, sem qualquer base científica e usam seu conceito de desintoxicação como marketing.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 3 Agosto de 2016 as 8:39

Especialistas alegam que, muitas vezes, as dietas detox são perigosas e sem qualquer base científica. (Foto: Reprodução)
Especialistas alegam que, muitas vezes, as dietas detox são perigosas e sem qualquer base científica. (Foto: Reprodução)

Nas dietas desintoxicantes, popularmente conhecidas como "detox", as pessoas são orientadas a se alimentar exclusivamente de sucos durante um período a fim de perder peso e desintoxicar o organismo.

De acordo com a especialista em nutrição clínica da empresa espanhola Dietox, que promove esse tipo de dieta, o cardápio permite eliminar o que o corpo não necessita. "[Isso ocorre] graças a alimentos desintoxicantes, como abacaxi, aspargos, espinafre e aipo, ou ao jejum, para limpar e purificar o sistema digestivo", argumenta Nekane Ullán.

"Pode variar do jejum completo à ingestão exclusiva de verduras e frutas ou ao semi-jejum, à base de sucos e saladas. E, para que sejam eficazes, basta testá-las ao menos por um dia", acrescenta a nutricionista.

Por outro lado, alguns cientistas e especialistas questionam essas afirmações e alegam que, muitas vezes, são dietas perigosas, sem qualquer base científica, que usam o conceito de desintoxicação como um termo puramente comercial.

Jesus Román, presidente da Sociedade Espanhola de Nutrição e Ciências da Alimentação e professor da Universidade Complutense de Madri, diz que são dietas "difíceis de serem seguidas", porque quem as realiza "não pratica uma única dieta, mas centenas delas".

"São pessoas que não costumam comer de forma saudável e equilibrada, porque passam de uma dieta para outra, e isso é um perigo para o metabolismo", explica Roman.

O que mais deixa os especialistas preocupados é a falta de evidências científicas que sustentem a "limpeza de toxinas". Mesmo Ullán, que defende a prática da dieta, reconhece que tais toxinas não existem ou, ao menos, ainda não foram comprovadas pela ciência.

"O sistema digestivo precisa de um descanso depois dos excessos, mas não existem dietas desintoxicantes. Para isso, há o fígado e os rins, que limpam as toxinas de nosso organismo", explica Roman.


Especialistas alegam que as dietas detox são perigosas e sem qualquer base científica. (Foto: Reprodução)

Embora não haja fundamentos científicos, Roman defende que as pessoas se sentem melhor depois de praticá-las e as recomendam, porque isso dá uma trégua ao sistema digestivo.

"O que nos faz sentir de fato melhor é seguir uma dieta equilibrada durante todo o ano, ou seja, uma dieta frugal, em que não se coma em excesso nem muita carne. Mas isso não tem apelo popular", lamenta.

O marketing da saúde

Edzard Ernst, professor da Universidade de Exeter, no Reino Unido, é ainda mais incisivo. "O conceito de detox está sendo usado como um termo comercial que vende a ideia de que as pessoas podem melhorar sua saúde com um mínimo de esforço", diz ele.

"Minha visão não é radical, mas realista. As dietas e produtos desintoxicantes esvaziam os bolsos das pessoas e as enganam, fazendo com que acreditem que podem normalizar rapidamente uma situação irreal", acrescenta.

Para ele, a única maneira de ser saudável é evitar certos hábitos, como beber, fumar ou comer demais. "É o jeito de se desintoxicar".

A nutricionista Adriana Alvarado, diretora do Centro de Nutrição Clínica da Costa Rica, alerta sobre os perigos dessa dieta. "Dependendo do tipo de dieta e sua duração, as pessoas podem sofrer efeitos secundários, como desidratação, deficiência de nutrientes, fadiga, dores de cabeça, problemas gastrointestinais ou enjoos", afirma.

veja também