Energético misturado com álcool pode causar derrame e até morte

Estudo diz que bebida estimulante consumida por jovens pode inibir o alcoolismo.

fonte: Guiame, com informações de R7

Atualizado: Terça-feira, 17 Fevereiro de 2015 as 11:35

energético
energético

Usado por quem pretende ficar trabalhando até tarde e retardar o descanso, o energético misturado a outras bebidas alcoólicas é contra-indicada porque leva ao aumento da pressão arterial e pode causar palpitações, arritmias cardíacas, AVC (acidente vascular cerebral) e até morte súbita. Esse é o alerta da Socerj (Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro).

"Os energéticos escondem os sintomas de embriaguez, pois são estimulantes, contêm cafeína e taurina que mascaram os efeitos do álcool que ocorrem depois da fase inicial de euforia, como a sonolência e o relaxamento. Os energéticos permitem que a pessoa beba por mais tempo e em maior quantidade e, portanto, fica sujeita a embriaguez e todos os riscos que isso acarreta, como redução de reflexos, riscos de quedas e acidentes, dependência e até morte", conta a cardiologista Olga Ferreira de Souza, presidente da Socerj, explica que o energético mascara o efeito do álcool.

Segundo o I Levantamento Nacional sobre o Uso de Álcool, Tabaco e Outras Drogas entre universitários das 27 capitais brasileiras, feito pela USP (Universidade de São Paulo), mostrou que 74% dos universitários brasileiros relataram já ter consumido esta combinação pelo menos uma vez na vida. Outra pesquisa, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), diz que a cafeína presente nos energéticos potencializa o efeito maléfico do álcool no cérebro.

De acordo com o estudo, a cafeína acelera a morte de células cerebrais, causada principalmente pelo álcool, que pode levar ao envelhecimento precoce e a doenças como mal de Alzheimer e de Parkinson.

Um dos grandes perigos é o jovem ter algum problema cardíaco ainda não diagnosticado, que pode ser prejudicado com o consumo da mistura das bebidas.

"O jovem não faz habitualmente avaliação clínica e cardiológica que nos permita dizer se é saudável. O risco é enorme para aqueles que são portadores de doenças do coração, hipertensão arterial e arritmias e também para os que não sabem ter doenças".

A presidente da Socerj dá dicas de como manter-se hidratado e alimentado durante o consumo de álcool.

A especialista alerta. "Se for beber, que seja de forma moderada, pouca quantidade, evitando bebidas destiladas que possuem maior teor alcoólico. Hidratar-se periodicamente, durante o consumo de bebidas alcoólicas, também é importante, pois um dos efeitos do álcool é a desidratação. Além disso, sempre que beber esteja bem alimentado, nunca em jejum".

veja também