Especialista ensina a alimentar crianças que rejeitam refeições saudáveis

Segundo a nutróloga e pediatra do Hospital do Coração, Daniela Gomes, os pais precisam abusar da criatividade na hora de alimentar as crianças.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 2 Dezembro de 2016 as 9

Os pais precisam abusar da criatividade na hora de alimentar as crianças. (Foto: Reprodução)
Os pais precisam abusar da criatividade na hora de alimentar as crianças. (Foto: Reprodução)

É comum ver mães e pais preocupados porque os filhos só comem determinados alimentos, com cores ou formas específicas e desprezam os demais. O que nem todos sabem é que mais da metade das crianças, principalmente aquelas em idade pré-escolar (4 a 6 anos), apresentam esse tipo de comportamento, chamado de comedor seletivo.

Esse tipo de hábito mais seletivo pode ser gerado na passagem da amamentação para alimentação pastosa. Por isso, é essencial que os pais ofereçam desde os seis meses de vida um cardápio variado para explorar o paladar e a sensibilidade tátil dos pequenos, acostumá-los com salgado, doce, azedo, pratos quentes, frios e de diferentes consistências.

Para a nutróloga e pediatra do HCor (Hospital do Coração), Daniela Gomes, os pais precisam ter paciência neste período de transição. Quanto mais tranquilos estiverem, mais fácil para as crianças aceitarem essas novidades à mesa. “Ao contrário dos adultos, os pequenos estão em fase de experimentação, ainda não têm preconceito contra qualquer tipo de alimento. Por isso não se deve forçá-los a comer, nem fazer chantagem ou trocas, o ideal é oferecer várias vezes o mesmo alimento", explica a nutróloga.

O pior a ser feito, nesses casos, é recorrer aos produtos industrializados, ricos em gorduras, açúcares, sódio, corantes e conservantes. “Alguns pais preferem oferecer uma bolacha recheada ou um chocolate para não deixar a criança passar fome. Trata-se de um equívoco recorrente até pela correria do dia a dia, que acaba por tornar a situação mais complicada", alerta.

Os pais precisam abusar da criatividade na hora de alimentar as crianças. Como os principais alimentos rejeitados são as verduras, legumes, frutas, grãos e as carnes, é possível contornar a situação e explorar as formas de apresentação do prato, por meio de cores e abusar de temperos naturais (manjericão, salsinha, hortelã), além de incluir os pequenos no preparo desses alimentos. "Se a carne em pedaços não agrada, opte pela moída na forma de hambúrguer. Beterraba e cenoura são ótimas para dar cor aos sucos", orienta a Dra. Daniela.

Além da seletividade à mesa, os comedores seletivos costumam pular refeições e ter intolerância a diferentes consistências. "É importante que os pais aprendam a lidar com esse hábito justamente para que os pequenos não se tornem adultos seletivos — problema que, no futuro, pode predispor a quadros de obesidade", indica a nutróloga.

veja também