Incluir carne vermelha na dieta pode trazer resultados na prática de esportes

Nutricionista esportiva dá dicas para repor as energias e compensar o desgaste natural dos músculos.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 11 Julho de 2016 as 8:55

Comendo carne vermelha de forma equilibrada, você vai ter a sensação de saciedade por mais tempo. (Foto: Reprodução)
Comendo carne vermelha de forma equilibrada, você vai ter a sensação de saciedade por mais tempo. (Foto: Reprodução)

Uma dieta balanceada é a chave para o sucesso de quem pratica exercícios com o objetivo de perder peso e fortalecer a musculatura. No entanto, a busca pelo corpo perfeito faz as pessoas abrirem mão de uma série de alimentos que poderiam contribuir ainda mais para os resultados.

Para isso, a nutricionista esportiva Livia Hasegawa, formada pela Universidade de São Paulo (USP), recomenda, em primeiro lugar, o aumento do consumo diário de proteínas.

“Se a pessoa não comer direito antes e depois da atividade física, ela pode não conseguir render bem no dia seguinte. A imunidade pode cair e a pessoa pode ficar doente, se sentir cansada ou com muita dor”, disse a nutricionista entrevista à plataforma Academia da Carne Friboi.

A profissional recomenda variar o cardápio de proteínas durante a semana: carnes vermelhas, frango, peixe, iogurtes e queijos, assim como proteínas vegetais como grão de bico e ervilha, são itens que não devem faltar na mesa.

"Comendo carne vermelha de forma equilibrada, você vai ter a sensação de saciedade por mais tempo, então você não vai sentir fome tão cedo. O ferro da carne é importante para a hemoglobina que transporta oxigênio para as células. Com baixa hemoglobina ou anemia, você não vai conseguir correr e ter um bom rendimento", explica Livia.

“O zinco, outro mineral dessa fonte de proteína, é importante para a imunidade e para o corpo construir massa muscular. E não podemos esquecer da vitamina B12. A carne vermelha é uma das principais fontes dessa vitamina. Ela faz parte do processo de produção de energia no nosso organismo”, acrescenta a nutricionista.

veja também