Pasta de dentes sem sabor ajuda a driblar enjôos matinais

Cuidados orais devem ser tomados, evitando colocar a saúde do bebê em risco. Saiba mais.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 2 Setembro de 2014 as 10:36

A gestação é um momento mágico para a mulher, porém, é preciso passar por alguns incômodos, como os enjôos. Os cuidados para a chegada do bebê são prioridade para o periodo, mas acabam esquecendo dos cuidados bucaiis, o que pode prejudicar a saúde do bebê. A partir do momento que o organismo da mulher começa a gerar uma criança, ele fica mais vulnerável por conta de alterações hormonais típicas dessa fase. E o aumento de alguns hormônios facilita o aparecimento de inflamações na gengiva.

Durante esse período, ocorrem mudanças nos hábitos alimentares, principalmente por questões emocionais. “A mulher passa a comer coisas diferentes e em maior quantidade, principalmente alimentos com açúcar. Essa mudança aumenta o risco de cáries”, diz Ana Lídia Ciamponi, odontopediatra.

Outra ressalva são os famosos enjoos matinais. Muitas mulheres relatam que, ao escovar os dentes, o mal estar aumenta. Nesses casos, é recomendável trocar a marca ou o sabor da pasta de dente, optando até por cremes sem sabor algum. “Caso opte por não colocar a pasta, procure fazer depois da escovação um bochecho com antisséptico bucal com flúor e/ou clorexidina”, diz a especialista.

Gestacao Anote na agenda
Se for necessário fazer alguns tratamentos ou exames odontológicos durante a gestação, é preciso ter cuidados especiais. “A melhor época para tratamento reabilitador é durante o segundo trimestre de gestação”, diz a dentista. No caso da aplicação da anestesia, é importante conversar com o profissional sobre a seleção adequada do anestésico. Já com as radiografias é fundamental usar o avental plumbífero (de chumbo) e estar atenta às doses e as durações das tomadas radiográficas.

Com relação aos tratamentos estéticos, Ana Lídia aconselha que eles sejam evitados em qualquer período da gestação. “Não indico um tratamento de clareamento, por exemplo, pois além de desnecessário nesse período, não há dados suficientes que comprovem sua segurança durante a gravidez e a amamentação”, diz Ana Lídia.

Periodontite x nascimento prematuro
“Quanto mais severa for a doença periodontal, maior o risco de se ter um parto prematuro. Falando em números, a mulher que tem problema gengival tem de 4 a 7 vezes mais chances de ter seu parto antecipado. Por isso que a prevenção ainda é o ideal”, diz Ana Lídia.

Isso ocorre porque as bactérias que se instalam na boca, por conta das inflamações gengivais, entram na corrente sanguínea e conseguem chegar até a placenta. Lá elas liberam substâncias capazes de contrair a musculatura do útero favorecendo o trabalho de parto.

 

Com informações de: Terra

veja também