Ranking lista as melhores e piores dietas para realizar esse ano

Conheça as dietas que funcionam e que podem ser realizadas como meta de emagrecimento.

fonte: Guiame, com informações de: Terra

Atualizado: Quarta-feira, 21 Janeiro de 2015 as 12:13

dietas boas
dietas boas

Ano novo. Dieta nova. Para quem colocou o início de uma reeducação alimentar com dietas como meta do ano, precisa saber qual dieta recomendada que dá resultado. Para não perder tempo em uma dieta, a .S. News & World Report, publicação americana especializada em rankings, avaliou 35 tipos.

Confira a classificação das dietas.

1. Dieta DASH
A dieta DASH, sigla em inglês para Abordagem Dietética para Parar a Hipertensão, aposta em nutrientes como potássio, cálcio, proteínas e fibras, que são cruciais para combater a pressão arterial elevada. Aposte nos alimentos que sempre lhe disseram ser bons (frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras e laticínios com pouca gordura) e evite doces, carne vermelha e sal. Os especialistas deram notas altas para sua integridade nutricional, segurança, capacidade de prevenir ou controlar diabetes e papel no apoio à saúde do coração.

Pontuação: 4,1 de 5

2. Dieta TLC

TLC, sigla de Therapeutic Lifestyle Changes (em tradução livre, Mudança Terapêutica do Estilo de Vida), busca reduzir 8% a 10% do colesterol ruim, o LDL, em seis semanas. A chave é cortar drasticamente a gordura da alimentação, especialmente a saturada (carnes gordas, leite integral, alimentos fritos).

Pontuação: 4 de 5

3a. Dieta da Clínica Mayo

A dieta da Clínica Mayo, nos estados Unidos, busca uma alimentação saudável como um hábito ao longo da vida. Ele ganhou especialmente altas classificações dos especialistas no quesito nutrição e segurança, além de boa ferramenta contra a diabetes. Foi considerada moderadamente eficaz para perda de peso. A ideia é mudar os hábitos alimentares, eliminando os ruins e substituindo-os pelos bons, tendo como guia o livro The Mayo Clinic Diet.

Pontuação: 3,9 de 5

3b. Dieta Mediterrânea
Tem ênfase em frutas, vegetais, azeite, peixe, nozes e cereais integrais. Obteve avaliações extremamente positivas dos especialistas.

Pontuação: 3,9 de 5

3c. Vigilantes do Peso

Vigilantes do Peso superou outros planos de dietas comerciais em várias áreas, incluindo perda de peso a curto e longo prazo e facilidade para segui-la. A proposta é comer o que quiser, desde que não ultrapasse a meta diária de pontos (cada alimento tem uma quantidade de pontos apresentada em uma lista), estipulado com base em sexo, peso, altura e idade.

Pontuação: 3,9 de 5

6. Dieta Flexitariana

Flexitariana é a junção de duas palavras: flexível e vegetariana. Diz que não precisa eliminar carne completamente para apreciar os benefícios dos vegetais. Recebeu altas pontuações em facilidade para seguir e perda de peso em longo prazo.

Pontuação: 3,8 de 5

6. Dieta volumétrica

Nessa dieta, é o volume de um alimento ingerido, e não o número de calorias consumidas, que confere saciedade. Os especialistas disseram que pode ter efeito positivo para a saúde do coração e diabetes.

Pontuação: 3,8 de 5

8. Dieta Jenny Craig

Oferece refeição personalizada e plano de exercícios, além de sessões de aconselhamento semanais com um consultor. Nutricionistas afirmaram ser nutricionalmente completa, mas o custo pode ser um obstáculo para algumas pessoas.

Pontuação: 3,7 de 5

9a. Dieta Biggest Loser

A proposta do reality show Biggest Loser é comer refeições regulares que enfatizam frutas, legumes, fontes de proteínas magras e cereais integrais, além de diário alimentar e dar adeus ao sedentarismo. Recebeu notas altas nos quesitos perda de peso em curto prazo e segurança.

Pontuação: 3,6 de 5

9b. Dieta Ornish

É rica em carboidratos e contra gorduras. Obteve reação mista dos especialistas, já que foi considerada saudável para o coração, mas não é fácil segui-la devido à restrição de gorduras.

Pontuação geral: 3.6 de 5

11a. Dieta Asiática Tradicional

De maneira geral, gira em torno de consumo diário de arroz, macarrão, pães, milho e outros grãos integrais, juntamente com frutas, legumes, leguminosas, sementes, nozes e óleos vegetais. Peixes e mariscos são opcionais a cada dia, e você pode ter ovos, aves e algo doce, uma vez por semana. A carne vermelha é permitida uma vez por mês. Especialistas atribuíram notas altas em nutrição e segurança, mas duvidaram da capacidade de perda de peso.

Pontuação: 3,5 de 5

11b. Dieta vegetarian (foto: istock)

Evitar carne e consumir vegetais é a proposta da dieta vegetariana. Segundo especialistas, produz perda de peso rápida e colabora com a saúde do coração.

Pontuação: 3,5 de 5

13a. Dieta Anti-inflamatória

Busca combater a inflamação sistêmica, com frutas e vegetais ricos em fibras, muita água e quantidades limitadas de proteína animal, exceto quando se trata de peixes. Os especialistas dizem que realmente leva a benefícios à saúde, mas há falta de evidências científicas sobre a redução de inflamação no corpo.

Pontuação: 3,3 de 5

13b. Slim-Fast

É baseado em substituir algumas refeições por shakes da marca. Segundo os especialistas, é fácil de seguir e ajuda no controle de peso, mas teve poucos pontos quando o assunto é saúde do coração.

Pontuação: 3,3 de 5

13c. Dieta Spark Solution

A dieta Spark Solution é projetada em torno de refeições nutritivas de baixo teor calórico, que otimizam o metabolismo, juntamente com uma rotina de exercícios regular. Segundo os especialistas, é uma dieta sensata e há uma boa chance de que vai ajudar a perder peso e manter o corpo.

Pontuação: 3,3 de 5

16a. Dieta Flat Belly

A dieta Flat Belly (em tradução livre, Barriga Lisa) teve altas notas em segurança e nutrição. Promete eliminar quilinhos extras e perder centímetros de gordura da barriga, com a ajuda de ácidos graxos monoinsaturados, que destroem a gordura da barriga, promovem saciedade e previnem excessos, sendo encontrados em alimentos como nozes, sementes, chocolate, abacate e azeite de oliva.

Pontuação: 3,2 de 5

16b. Dieta HMR

Consiste em alimentos fornecidos pela marca, como shakes e sopas. Se saiu bem em nos quesitos perda de peso em curto prazo, nutrição e segurança, mas alguns especialistas não estavam convencidos de que o programa caro de substituição de refeições é necessário: “É muito caro e não é prático para a maioria das pessoas”, disse um deles.

Pontuação: 3,2 de 5


16c. Nutrisystem

Nutrisystem determina porções, prepara e entrega as suas refeições, e lhe diz o que comer e quando. Segundo especialistas, é fácil de seguir e tem poucas deficiências nutricionais.

Pontuação: 3,2 de 5

19a. Dieta do Abdômen

A dieta Abs (Abdômen, em inglês) é um plano de seis semanas, com seis refeições diárias, as quais devem conter pelo menos dois dos seguintes alimentos: amêndoas, feijão, espinafre, aveia, ovos, manteiga de amendoim, framboesas, azeite e grãos integrais. Os avaliadores disseram que é moderadamente eficaz para perda de peso rápida e mediana na maioria dos outros aspectos, mas reclamaram da promessa de perder muita gordura da barriga em apenas duas semanas e questionaram as evidências para comprovar isso.

Pontuação: 3 de 5

19b. Dieta Engine 2

Com baixo consumo de gordura, prioriza as plantas e grãos, e apresenta um plano de fitness. Embora os especialistas reconheçam seus benefícios para o coração e diabetes, criticam o programa por ser desnecessariamente restritivo e “enigmático”.

Pontuação: 3 de 5

19c. Dieta de South Beach

Divide-se em três partes, sendo a primeira a mais restritiva. Propõe menos carboidratos e mais proteínas e gorduras saudáveis. Apesar das classificações positivas por ser capaz de produzir perda de peso rápida, suas restrições podem tornar difícil mantê-la, segundo os especialistas.

Pontuação: 3 de 5

19d. Dieta vegana

Além de eliminar carne, a dieta vegana também risca do cardápio produtos de origem animal, como laticínios e ovos. Teve notas altas em relação ao combate ao diabetes e doença cardíaca, mas os pontos baixos são ser muito restritiva e não fornecer o suficiente de alguns nutrientes.

Pontuação: 3 de 5

24a. Dieta Zone

Propõe cinco refeições ao dia, cada uma contendo 40% de carboidratos, 30% de proteína e 30% de gordura saudável. Não empolgou os avaliadores: “É desnecessário e tedioso estruturar cada refeição em torno de limiares de macronutrientes específicos”, disse um deles.

Pontuação: 2,9 de 5

24b. Dieta Eco-Atkins

Um especialista resumiu Eco-Atkins como uma “versão mais saudável da dieta de Atkins, mas é provavelmente mais difícil de cumpri-la”, isso porque é restritiva e tem pouca orientação disponível, segundo os avaliadores. Recomenda que 31% das calorias diárias venham de proteínas vegetais, 43% de gorduras vegetais e 26% de carboidratos.

Pontuação: 2,9 de 5

24c. Dieta do Índice Glicêmico

Os profissional não se impressionaram muito com a dieta de índice glicêmico, que aposta em “bons” carboidratos (farelo de cereal, maçã, cenoura) e foge dos “maus” (pão branco, purê de batata instantâneo). Marcou poucos pontos nos quesitos perda de peso em longo prazo, benefícios cardíacos e facilidade de adesão. Teve pontuação relativamente forte em nutrição e segurança.

Pontuação: 2,9 de 5

26. Dieta Macrobiótica

Relacionada a alimentos naturais, com pouco ou nenhum processamento, e baseada na filosofia chinesa Yin e Yang (opostos). Os especialistas deram pouco crédito a ela em vários aspectos, como ser difícil segui-la e ser muito rigorosa

Pontuação: 2,7 de 5

27. Medifast

Consiste em substituir refeições por alimentos da marca. Marcou acima da média na perda de peso em curto prazo, mas teve pontuações baixas na maioria das outras categorias.

Pontuação: 2,7 de 5

28a. Dieta Ácida Alcalina (Dieta do pH)

A premissa da dieta é ajudar o corpo a controlar o pH por meio de dieta, sendo que o ideal é apostar em alimentos alcalinos (amêndoa, couve, espinafre, brócolis) e fugir dos ácidos (carne vermelha, sal). É “ridícula e mal pesquisada”, disse um dos especialistas. “Não é baseada na ciência”, comentou outro.

Pontuação: 2,6 de 5

28b. Dieta Supercharged Hormone

A ideia é comer alimentos que turbinem os hormônios da queima de gordura. Investe em muita proteína e fibra. Os avaliadores não se mostraram propensos a recomendar a dieta, que recebeu pontuações ruins em todas as categorias. “A premissa dessa dieta é ridícula e não promove a perda de peso em longo prazo ou melhora o comportamento alimentar”, disse um deles.

Pontuação: 2,6 de 5

30a. Dieta Body Reset

O treinador e nutricionista Harley Pasternak propõe receitas rápidas e três vitaminas por dia nos primeiros cinco dias. Os especialistas não se entusiasmaram com a proposta, que recebeu pontuação baixa em todas as categorias. “Não é uma forma de se alimentar sustentável”, disse um dos avaliadores.

Pontuação: 2,5 de 5

30b. Dieta Rápida

Esse padrão de alimentação é muitas vezes chamado de 5:2, em que se come normalmente durante cinco dias da semana e corta as calorias para cerca de 25% da ingestão normal em dois dias não consecutivos da semana. Os especialistas apontaram muitos problemas.

Pontuação: 2,5 de 5

32a. Dieta Atkins

A popular dieta de baixa ingestão de carboidrato deixou a desejar na pontuação, sendo baixa em perda de peso em longo prazo, nutrição, segurança e saúde do coração.

Pontuação: 2,3 de 5

32b. Dieta da comida crua

Elimina do cardápio alimentos cozidos em temperaturas superiores a 46° C. Apesar de bem pontuado na perda de peso em curto e longo prazo, foi considerada praticamente impossível de se seguir, sendo que a integridade nutricional e segurança também preocuparam.

Pontuação: 2,3 de 5

34a. Dieta Dukan

Criada pelo francês Pierre Dukan, é um tipo de dieta da proteína que é dividida em fases. Teve pontuação baixa por ser muito restritiva, com muitas regras e sem evidências de que funciona, segundo os especialistas.

Pontuação: 2 de 5

34b. Dieta Paleolítica

É baseada na premissa que tudo que os homens das cavernas não comiam também não devem ser saboreados por você. Portanto, dê adeus a açúcar refinado e massas. Aposte em carne, frutas e vegetais. Não foi bem avaliada pelos profissionais por ser difícil de levá-la adiante nos dias atuais.

Pontuação: 2 de 5

veja também