Segundo pesquisa, sinais de Alzheimer podem aparecer aos 20 anos

Novos testes serão realizados para confirmação da pequena conclusão.

fonte: Guiame, com informações de Terra

Atualizado: Segunda-feira, 2 Março de 2015 as 1:39

Alzheimer
Alzheimer

O Alzheimer foi tema de um novo estudo realizado na Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, e descobriu que os primeiros sinais da doença podem surgir na faixa dos 20 anos, meio século antes dos sintomas da doença. As informações foram divulgadas através do Daily Mail.

Os responsáveis pelo estudo analisaram os cérebros de idosos com e sem a demência, bem como amostras retiradas de 13 pessoas entre 20 e 66 anos, que não tinham o problema quando morreram. Os testes mostraram que a beta-amiloide, a proteína tóxica que entope o cérebro na doença de Alzheimer, tinha começado a surgir em pessoas jovens, na faixa dos 20.

Os aglomerados de beta-amiloide foram encontrados dentro dos neurônios, que estão envolvidos na memória e atenção e estão entre os primeiros a morrer no envelhecimento normal, assim como no Alzheimer. “Descobrir que a amiloide começa a se acumular tão cedo na vida é sem precedentes”, comentou Changiz Geula, o chefe do estudo. “Isso aponta para o motivo de esses neurônios morrerem cedo. A acumulação de amiloide ao longo da vida provavelmente contribui para a vulnerabilidade dessas células”, completou.

O diretor de pesquisa da Sociedade de Alzheimer, James Pickett, contou que o estudo é muito pequeno e que já se sabe que nem todo mundo com placas de amiloides vai desenvolver a doença. “Mais pesquisas são necessárias para explicar o motivo de apenas uma proporção de pessoas com um acúmulo de amiloide desenvolver a doença”, opinou Pickett. “Há estudos clínicos em andamento de drogas que reduzem amiloide no cérebro e esperamos para saber se esse é um bom caminho para prevenir ou retardar a doença de Alzheimer nos próximos anos.”

Já Laura Phipps, da instituição Pesquisas do Alzheimer do Reino Unido, comentou que a maior compreensão dos estágios iniciais da patologia poderia fornecer novas pistas para ajudar a lutar contra ela.

 

 

 

veja também