Veja 9 maneiras de ser expulso de um cruzeiro

Os navios possuem inúmeras regras e as consequências de quebrar qualquer uma delas podem ser bastante constrangedoras.

fonte: Guiame, com informações de UOL

Atualizado: Sexta-feira, 15 Julho de 2016 as 8:53

Os navios possuem inúmeras regras e as consequências de quebrar qualquer uma delas podem ser bastante constrangedoras. (Foto: AP Photo/Daniel Morel)
Os navios possuem inúmeras regras e as consequências de quebrar qualquer uma delas podem ser bastante constrangedoras. (Foto: AP Photo/Daniel Morel)

Jogar uma papel de bala no mar pode parecer uma atitude, aparentemente, não tão grave. No entanto, isso pode motivar a expulsão de um turista de um cruzeiro.

Os navios possuem inúmeras regras e as consequências de quebrar qualquer uma delas podem ser bastante constrangedoras. O UOL apontou algumas atitudes que não são toleradas nesse tipo de viagem, baseado em uma lista do site FoxNews:

1. Faltar no treinamento

O treinamento de emergência é um exercício obrigatório realizado nos navios de cruzeiros para assegurar que os passageiros sejam informados dos protocolos de segurança enquanto estão a bordo. Isso inclui os procedimentos de evacuação em caso de emergência.

Portanto, todos os turistas devem passar pelo procedimento — e aqueles que não aceitarem, têm a única alternativa de voltar para casa. Em 2012, um casal de idosos acabou expulso de um navio em Portugal quando a esposa se recusou a participar da aula.

2. Sair na mão

Se alguém começar uma briga com você, a culpa não vai apenas para quem deu primeiro soco. A maioria das linhas de cruzeiro têm uma política de tolerância zero sobre o assunto.

Mesmo não sendo o agressor, você pode ser sumariamente expulso do navio no próximo porto da escala. E ainda vai ter que ficar ao lado do "nervosinho" tentando descobrir um jeito de voltar para casa. Melhor não, né?

3. Insultar alguém

Insultos verbais também podem te jogar para fora do navio. Em 2010, uma passageira de 82 anos e seu marido, de 91, foram expulsos após iniciarem uma discussão com outro casal e declararem insultos antissemitas.

Os idosos admitiram a discussão, mas negam terem tido qualquer tipo de contato físico durante a briga. Apesar disso, foram confinados na cabine durante seis dias — acusados de serem fisicamente abusivos com outros passageiros — até que o navio parou em Nova York, onde eles foram obrigados a desembarcar.

4. Vestir fantasias

Ver alguém fantasiado por aí pode não ser algo comum. Apesar disso, casos assim acontecem com tanta frequência que as empresas costumam ter uma política sobre isso, vetando a situação.

Um alemão passou cinco anos fingindo ser o médico, a ponto de tratar diversos pacientes em diferentes cruzeiros até finalmente ser preso, em dezembro de 2015.

5. Levar bebidas na mala

As linhas de cruzeiro estão reforçando a ideia de proibir que o álcool comprado na costa seja consumido dentro do navio.

Em 2015, a Carnival anunciou a sua nova política de proibir vasilhames de todo tipo de bebida trazidos de fora, incluindo água e refrigerante. A Norwegian também implementou recentemente uma rigorosa política de bebidas vindas de fora da embarcação, salvo algumas poucas exceções.

6. Drogas ilícitas

Em janeiro de 2016, sete americanos foram presos por posse de cocaína em um cruzeiro que passava por Porto Rico. As drogas foram encontradas durante uma verificação de rotina nas cabines da Royal Caribbean, feita por cães especialmente treinados.

Caso a pessoa seja presa com uma substância ilegal durante a passagem do navio por alto mar, ela será devidamente escoltada durante todo o tempo até o próximo porto da escala, onde o caso passará para os cuidados da polícia.

7. Fazer o comediante

Uma das maneiras mais rápidas de ser expulso de um navio da MSC Cruzeiros é fazer uma pegadinha. Quer um exemplo? Gritar "homem ao mar" quando não existe motivo para tal. Mas você também pode ser o alvo de uma brincadeira. Em 2012, um neurocirurgião de Nashville foi expulso de um cruzeiro quando alguém fingindo ser ele escreveu no Twitter que estava planejando um ataque terrorista.

O navio também chegou a receber um telefonema anônimo. Após análises, os funcionários livraram o médico das acusações, mas o capitão continuou se recusando a deixá-lo voltar a bordo.

8. Perder a hora

Perder a partida do navio, pois se esqueceu da vida enquanto passeava em terra firme, pode ser bastante embaraçoso. Basta uma rápida busca na internet para encontrar vários passageiros fazendo a "corrida da vergonha".

David Yeskel, do site "Cruise Guru", conta que fazia um cruzeiro pela Jamaica quando viu um grupo de passageiros atrasados ser insultado pelo pessoal que já estava a bordo. A confusão acabou em briga física, o que levou todos os envolvidos a serem imediatamente escoltados para fora do navio.

9. Usar o mar como lixeira

Fazer isso é motivo para expulsão. Não importa se é um cigarro, papel de bala, um outro passageiro ou até mesmo a âncora. Em 2010, por exemplo, o navio de cruzeiros MS Ryndam teve seu trajeto bruscamente interrompido por um passageiro embriagado, que lançou a âncora do navio ao mar

O incidente não trouxe grandes problemas, mas poderia ter causado "danos significativos ao leme ou à hélice, algo que poderia desativar a capacidade de manobra ou punção do navio, resultando em em naufrágio ou inundação severa". O homem foi posteriormente interrogado pelo FBI e enfrentou acusações federais.

veja também